Pular para o conteúdo principal

Damares e Darwin

por Prof. Paulo Cristiano da Silva 




A  frase “Deixamos a teoria da evolução entrar nas escolas”, proferida pela ministra Damares,viralizou na internet e foi o estopim que deu origem a uma verdadeira “comoção científica” nas redes sociais e na mídia de forma geral, mesmo entre aqueles que nunca tiveram uma aulinha sequer de metodologia científica. Não importa que o vídeo seja de 2013 e que a frase foi proferida dentro de um contexto não político. O importante é lacrar e conseguir emplacar a pecha de fundamentalismo religioso no novo governo. Vai que cola! 

Nazismo e fascismo não colaram, é necessário arrumar outros estereótipos. Não sei por que, mas tenho a sensação de que está em andamento um processo de assassinato de reputação em plena luz do dia. Mas, cadê as feministas para protestar? Feminismo? É só pra quem está do lado esquerdo do espectro político, não é amiga?!

Mas deixando o aspecto político de lado, eu quero focar em outra frase da ministra quando mencionou “questionar” a teoria da evolução. Que a teoria da evolução deva ser ensinada em sala de aula, ninguém discute. É líquido e certo. Mas ela pode ser questionada? Não só pode como deve ser ensinada e questionada. O que ocorre, infelizmente, é que algumas vezes, a teoria darwinista deixou de ser ciência para se tornar uma doutrinação, uma espécie de “vaca sagrada” da biologia. A maioria das salas de aula,seja do ensino médio ou do superior,ensina um currículo unilateral, pró-Darwin, que censura qualquer crítica científica do neodarwinismo. E o pior disso é saber que cientistas que ousam desafiar o tipo darwinista de evolucionismo estão sendo expulsos de muitas universidades, como bem expôs o documentário “Expelled: No Intelligence Allowed” (2008). Isso contribui para a má educação científica. Não ensina os alunos a pensar, apenas reproduzir. 


O darwinismo se tornou na biologia, o que o marxismo é nas ciências sociais: uma doutrinação cultural. Quando os alunos são convencidos de que a evolução darwiniana é uma “teoria estabelecida” ou que “não há controvérsia sobre a evolução”, isso não apenas os desinforma sobre os debates entre os cientistas, mas não ensina os alunos a usar o pensamento crítico nessas importantes questões científicas. Eu acredito que os estudantes deveriam pelo menos ter a oportunidade de aprender sobre as falhas e os limites da teoria de Darwin enquanto estão aprendendo sobre os pontos mais fortes dela. Por exemplo, os livros didáticos frequentemente apresentam exemplos de “microevolução” de pequena escala e extrapolam essa evidência para fazer alegações injustificadas sobre “macroevolução”. Eles discutem mudanças minúsculas nos tamanhos dos bicos nos tentilhões de Galápagos ou pequenas mudanças nas cores dos animais para asseverar que fundamentalmente novos tipos de organismos podem evoluir através de processos evolutivos. Isso é desonestidade intelectual! 

Os avanços científicos dos últimos anos, principalmente sobre informação genética, levou muitos cientistas a uma atitude revisionista frente ao paradigma evolucionista darwiniano devido a insuficiência epistêmica da teoria geral da evolução. A declaração “Dissent Scientific From Darwinism” que afirma “Somos céticos quanto às alegações de que a capacidade de mutação aleatória e seleção natural são responsáveis pela complexidade da vida” é um exemplo notável dessa dissidência de diversos cientistas que é desconhecida do público em geral. Portanto, permitamos sim, o ensino da evolução, mas não como doutrinação, mas como uma, entre outras teorias que tem por objetivo explicar a evolução e beleza da vida. E que Darwin nos ajude. Amém!

Fonte: CACP



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POLÍTICA SOCIAL Vergonha para os baianos: dos 100 piores municípios para se viver em todo país, quase metade desses estão no estado da Bahia

Foto: Jucuruçu, no extremo sul da Bahia, é citado na lista Quatro em cada dez cidades brasileiras consideradas as piores para se viver ficam na Bahia. A informação é baseada em um relatório divulgado anualmente pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), que considera um índice similar ao IDH-M (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal, que avalia longevidade, educação e renda da população) da Organização das Nações Unidas. O Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM) acompanha o desenvolvimento socioeconômico de todos os mais de 5 mil municípios brasileiros também em três áreas de atuação: emprego e renda, educação e saúde. O índice varia de 0 (mínimo) a 1 ponto (máximo) e quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento da localidade. De acordo com os dados da Firjan, 55,2% do total das cidades possuem desenvolvimento moderado, e 1,9% (106 cidades) estão com baixo desenvolvimento, ou seja, abaixo de 0,4. Apenas 332 cidades (6% do total) possuem alto d

Mais um que apoia o Partido das Trevas: Pastor Daniel Elias da Assembleia de Deus vira garoto propaganda do PT para atrair evangélicos

O pastor é uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas evangélicas Pastor Daniel Elias (Reprodução) A nova estratégia do PT (Partido dos Trabalhadores), para ter um melhor desempenho nas eleições municipais de 2020, é a aproximação dos evangélicos. A pedido do ex-presidente Lula, o partido está criando núcleos evangélicos nos estados para tentar conquistar a classe evangélica que já provou que pode fazer a diferença nas urnas. Uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas é o pastor da Assembleia de Deus de Duque de Caxias RJ, Daniel Elias. O líder religioso é militante do PT e discípulo fiel de Lula. Há um ano ele virou notícia em todo país quando viajou até Curitiba, no Paraná, para realizar um ato profético em favor do ex-presidente que estava preso na carceragem da Polícia Federal (PF). Daniel Elias, de 38 anos, ungiu o cadeado do portão da sede da PF. O pastor admite que a articulação enfrenta dificuldades.  “O grupo ligado à direita chegou primeiro

Quem são os 7 pastores mais respeitados do Mundo; Saiba agora

Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem. Outra pergunta é: Ele é tão bom, se é! Por que é? Ou é escolhido bom apenas pela sua fama? Muitas vezes o bom é aquele que contraria as multidões, mas o bom pode também estar entre as multidões, “Não devemos esquecer que por se tratar da Palavra de Deus, o discurso do pregador deve ser embasado nas Escrituras sempre” então fica ai minha dica e junto também uma de suas mensagem. No VÍDEO abaixo você vai conferir os nomes dos pastores que o Brasil inteiro conhece. São pastores de grandes ministérios que contem números altos de fieis sobre a presença de Deus. Hoje nas