Pular para o conteúdo principal

Palestina pagou mais de US$130 milhões a terroristas que mataram judeus em 2018

A Autoridade Palestina continua pagando terroristas (presos ou libertados) que já mataram judeus em ataques.

Terrorista palestino segura armamento pesado. (Foto: Alaraby)
                                            Terrorista palestino segura armamento pesado. (Foto: Alaraby)


A Autoridade Palestina gastou pelo menos 502 milhões de libras esterlinas (US$ 136,4 milhões) em pagamentos para prisioneiros terroristas somente em 2018, de acordo com um relatório divulgado quinta-feira pelo grupo de pesquisa israelense Palestinian Media Watch.

A PMW obteve uma cópia da atualização do orçamento da Autoridade Palestina e descobriu que o governo pagou aos terroristas palestinos centenas de milhões de shekels (moeda local). O relatório de orçamento não indica como os fundos são alocados. No entanto, a PMW usou a atualização do orçamento e as informações do Serviço Prisional de Israel para apontar:

- Pelo menos 230 milhões de libras foram usadas ​​como salários para prisioneiros terroristas

- Pelo menos 176 milhões de libras foram usadas ​​como salários para prisioneiros terroristas libertados

- Os restantes 96 milhões de libras foram utilizadas para despesas e benefícios diversos para terroristas.

Esses cálculos referem-se apenas a pagamentos da Autoridade Palestina a terroristas presos e a terroristas libertados. Eles não contabilizam o dinheiro que pago pelo governo às famílias de terroristas palestinos mortos ou feridos.

Israel está trabalhando para acabar com as políticas de "pagar para matar" da Autoridade Palestina. O parlamento de Israel aprovou uma legislação em julho de 2018 para penalizar financeiramente a Autoridade Palestina pelos seu financiamento ao terrorismo.

"A lei que impõe sanções monetárias à AP por causa de seus pagamentos a terroristas é uma das mais importantes leis aprovadas em Israel nos últimos anos, porque envia uma mensagem clara à Autoridade Palestina de que Israel não aceitará de maneira alguma seu apoio ao terrorismo", disse o diretor da Palestinian Media Watch, Itamar Marcus, ao The Jerusalem Post.

Os Estados Unidos também tomaram medidas para punir a Autoridade Palestina por "pagar para matar". Os legisladores dos EUA aprovaram a Lei da Força de Taylor, que corta a ajuda dos EUA, até que a Autoridade Palestina pare de recompensar os terroristas e suas famílias. A Austrália seguiu o exemplo dos EUA em julho.

No ano passado, o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, jurou que faria do pagamento de terroristas uma prioridade.

"Por Alá, mesmo que tenhamos apenas um centavo, só será gasto com as famílias dos mártires e dos prisioneiros e só depois será gasto com o resto do povo", disse Abbas.

Fonte: guiame.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POLÍTICA SOCIAL Vergonha para os baianos: dos 100 piores municípios para se viver em todo país, quase metade desses estão no estado da Bahia

Foto: Jucuruçu, no extremo sul da Bahia, é citado na lista Quatro em cada dez cidades brasileiras consideradas as piores para se viver ficam na Bahia. A informação é baseada em um relatório divulgado anualmente pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), que considera um índice similar ao IDH-M (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal, que avalia longevidade, educação e renda da população) da Organização das Nações Unidas. O Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM) acompanha o desenvolvimento socioeconômico de todos os mais de 5 mil municípios brasileiros também em três áreas de atuação: emprego e renda, educação e saúde. O índice varia de 0 (mínimo) a 1 ponto (máximo) e quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento da localidade. De acordo com os dados da Firjan, 55,2% do total das cidades possuem desenvolvimento moderado, e 1,9% (106 cidades) estão com baixo desenvolvimento, ou seja, abaixo de 0,4. Apenas 332 cidades (6% do total) possuem alto d

Mais um que apoia o Partido das Trevas: Pastor Daniel Elias da Assembleia de Deus vira garoto propaganda do PT para atrair evangélicos

O pastor é uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas evangélicas Pastor Daniel Elias (Reprodução) A nova estratégia do PT (Partido dos Trabalhadores), para ter um melhor desempenho nas eleições municipais de 2020, é a aproximação dos evangélicos. A pedido do ex-presidente Lula, o partido está criando núcleos evangélicos nos estados para tentar conquistar a classe evangélica que já provou que pode fazer a diferença nas urnas. Uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas é o pastor da Assembleia de Deus de Duque de Caxias RJ, Daniel Elias. O líder religioso é militante do PT e discípulo fiel de Lula. Há um ano ele virou notícia em todo país quando viajou até Curitiba, no Paraná, para realizar um ato profético em favor do ex-presidente que estava preso na carceragem da Polícia Federal (PF). Daniel Elias, de 38 anos, ungiu o cadeado do portão da sede da PF. O pastor admite que a articulação enfrenta dificuldades.  “O grupo ligado à direita chegou primeiro

Pastor Josué Brandão pede licença da presidência da Conframadeb para tratar de assuntos pessoais e da saúde

Devido ao grande trabalho em viagens, estudos bíblicos, palestras e manutenção de missionários em toda a Bahia e até fora do estado, o conferencista internacional, Pr. Josué Brandão, pede licença de seu cargo como presidente da CONFRAMADEB, Convenção Fraterna dos ministros das Igrejas Evangélicas Assembleias de Deus no Estado da Bahia. Segundo o site de fofoca, O Buxixo Gospel, há comentários de uma suposta infidelidade conjugal. No entanto, nenhuma acusação chegou até a diretoria da Conframdeb acusando-o, segundo um membro da diretoria da convenção. "Colocar em rede sociais uma suposta infidelidade, dita por um suposto membro e sem nenhuma comprovação, é uma irresponsabilidade sem tamanho. Ainda que fosse verdade, isso será averiguado quando houver denúncia formalizada, não deveria expor a imagem de ninguém nessa situação", um membro da diretoria.    Pr. Josué Brandão Nesta imagem acima, o pastor Josué Brandão ministrando um batismo na cidade de Brumad