Pular para o conteúdo principal

38% dos evangélicos já sofreram preconceito religioso no Brasil - Eles sofrem mais preconceito que os gays

Levantamento do Datafolha investigou vários tipos de preconceitos no país


Evangélicos
Evangélicos. Foto / Divulgação

O Brasil registra, em média uma denúncia de intolerância religiosa a cada 15 horas, segundo levantamentos oficiais. Uma pesquisa do Datafolha, publicada este mês, indica que 26% dos brasileiros declaram já ter sofrido preconceito devido à sua religião (eram 20% em 2008).
Os adeptos de religiões de matriz africana são os principais alvos, com 68% dos entrevistados afirmando que sofrem preconceito religioso. Para o Datafolha, o segundo grupo que mais relata esse tipo de problema são os evangélicos.
O Instituto aponta que 38% dos evangélicos também experimentaram preconceito motivados por religião, sendo que o índice aumenta entre os neopentecostais, chegando a 48%. Em terceiro lugar vêm os espíritas, com 33%.
O levantamento, entre os dias 18 e 19 de dezembro de 2018, entrevistou 2.077 pessoas, em 130 municípios de todas as regiões do país. A margem de erro máxima no total da amostra é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Outros tipos de preconceito

A pesquisa do Datafolha mostra um crescimento do percentual de brasileiros que se declaram vítima de algum tipo de preconceito. Três em cada dez (30%) dizem que sofrem preconceito por causa de sua classe social (era 23% em 2008), 28% por conta do local de moradia (era 21%), 24% devido ao seu gênero (era 11%), 22% pela sua cor ou raça (era 11% em 2007) e 9% por sua orientação sexual (era 4% em 2008).
Adaptado do Gospel Prime

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quem são os 7 pastores mais respeitados do Mundo; Saiba agora

Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem. Outra pergunta é: Ele é tão bom, se é! Por que é? Ou é escolhido bom apenas pela sua fama? Muitas vezes o bom é aquele que contraria as multidões, mas o bom pode também estar entre as multidões, “Não devemos esquecer que por se tratar da Palavra de Deus, o discurso do pregador deve ser embasado nas Escrituras sempre” então fica ai minha dica e junto também uma de suas mensagem. No VÍDEO abaixo você vai conferir os nomes dos pastores que o Brasil inteiro conhece. São pastores de grandes ministérios que contem números altos de fieis sobre a presença de Deus. Hoje nas

Mais um que apoia o Partido das Trevas: Pastor Daniel Elias da Assembleia de Deus vira garoto propaganda do PT para atrair evangélicos

O pastor é uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas evangélicas Pastor Daniel Elias (Reprodução) A nova estratégia do PT (Partido dos Trabalhadores), para ter um melhor desempenho nas eleições municipais de 2020, é a aproximação dos evangélicos. A pedido do ex-presidente Lula, o partido está criando núcleos evangélicos nos estados para tentar conquistar a classe evangélica que já provou que pode fazer a diferença nas urnas. Uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas é o pastor da Assembleia de Deus de Duque de Caxias RJ, Daniel Elias. O líder religioso é militante do PT e discípulo fiel de Lula. Há um ano ele virou notícia em todo país quando viajou até Curitiba, no Paraná, para realizar um ato profético em favor do ex-presidente que estava preso na carceragem da Polícia Federal (PF). Daniel Elias, de 38 anos, ungiu o cadeado do portão da sede da PF. O pastor admite que a articulação enfrenta dificuldades.  “O grupo ligado à direita chegou primeiro

IRMÃ DULCE, SANTA? SERÁ? IRMÃ DULCE E O SEU LADO OBSCURO

IRMÃ DULCE E O SEU LADO OBSCURO Retrato de Irmã Dulce Deixar de reconhecer que a D. Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, filha de Augusto Lopes Pontes e de Dulce Maria de Souza Brito, conhecida mundialmente como Irmã Dulce, fez um trabalho filantrópico, sacrificial, e altruísta, é ser um ignorante, tendencioso e ingrato. Nascida em 26 de maio de 1914, na capital baiana, e falecida no dia 13 de março de 1992,  foi uma religiosa católica brasileira que dedicou a sua vida a ajudar os doentes e os mais necessitados. Foi beatificada pelo Papa Bento XVI, no dia 10 de dezembro de 2010, passando a ser reconhecida com o título de "Bem-aventurada Dulce dos Pobres". Será canonizada pelo Papa Francisco em uma celebração no Vaticano no dia 13 de outubro de 2019. Por ser muito jovem ela foi recusada pelo Convento de Santa Clara. Formou-se em professora primaria em 08 de fevereiro de 1932 e um ano após entrou para a Congregação Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição de D