Pular para o conteúdo principal

Globo, a tv dos ativistas gays, promove grupo de “evangélicas” favoráveis ao aborto

Uso da pós-verdade é uma constante no maior grupo de comunicação do país

Frente Evangélica pela legalização do aborto
Frente Evangélica pela legalização do aborto. (Foto: Arquivo pessoal/Camila Mantovani)

Geralmente tanto a Rede Globo com as demais emissoras de tv, rádios, revistas, jornais... dizem que a religião foi a causa de muitas mortes no mundo. Não discordamos desta assertiva, mas isso não significa que a religião deve ser banida. Deve-se identificar quais foras as religiões que mataram e ainda matam em nome de Deus e ai, sim, o povo deve ser devidamente informado e alertado sobre isso. No entanto, a mesma Globo, agora utiliza "evangélicas", que em nome de Cristo apoia o assassinato de crianças antes do seu nascimento. (Redação do Gospel Urgente)
Usada pela primeira vez em 1992, pelo dramaturgo sérvio-americano Steve Tesich, a palavra “pós verdade” foi escolhida como a palavra do ano pela a Universidade de Oxford, do Reino Unido.
Os estudiosos justificaram a escolha dizendo que ela “deixou de ser um termo periférico para se tornar central no comentário político”.
A instituição britânica assegura que “pós-verdade” é um substantivo “que se relaciona ou denota circunstâncias nas quais fatos objetivos têm menos influência em moldar a opinião pública do que apelos à emoção e a crenças pessoais”.
O jornalismo da rede Globo faz uso constante dessa perspectiva. Uma matéria publicadano portal G1 desta terça-feira (19) assegurava: “Grupo de evangélicas se une para lutar pela legalização do aborto: ‘Nosso direito’”.
No corpo do texto, algumas das entrevistadas diziam que “a criminalização do aborto fere os direitos de liberdade e dignidade de uma mulher”.
A figura principal do movimento “Frente Evangélica pela Legalização do Aborto” é Camila Mantovani, 24 anos, filiada ao PSOL. Ela já apareceu, inclusive, em programas da Rede Globo defendendo que nem todos os evangélicos são contrários ao aborto.
Conforme o G1, o movimento de Camila, que surgiu em São Paulo, “está se espalhando rapidamente para outras cidades do país”. Contudo, não apresenta detalhes sobre quais seriam essas cidades nem cita números que poderiam confirmar a afirmação.
Segundo a ativista, “Fazemos isso com base na nossa fé em Jesus Cristo. Compreendemos que ninguém avança em garantia de direitos nesse país se a disputa de consciência não for travada no campo religioso”.
Ela também assegura que “Os homens que detém o poder político hoje, dentro das igrejas ou fora dela, essas mãos que seguram a bíblia e legislam no congresso em nome de Deus, representam os que historicamente roubam nossos direitos e nossa dignidade. Mas ninguém pode ter o monopólio sobre o evangelho ou sobre Deus. É por isso que insistimos em ser igreja. Porque ninguém vai falar por nós”.
A reportagem do maior portal de notícias do país ouviu também duas outras jovens evangélicas que tem postura em favor da interrupção da gravidez.
Os argumentos de todas são bem afinados com os discursos de movimentos de esquerda e chama a atenção a tentativa de generalização do G1. Tomando o todo pela parte, busca desconstruir a ideia de que existem princípios bíblicos e históricos que mostram tanto o que seria um “cristão evangélico” quanto o propósito divino para a concepção.
Falar em evangélicos pró-aborto é mais um uso da pós-verdade do grupo Globo, algo que sabidamente faz com maestria.
Adaptado do Gospel Prime

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POLÍTICA SOCIAL Vergonha para os baianos: dos 100 piores municípios para se viver em todo país, quase metade desses estão no estado da Bahia

Foto: Jucuruçu, no extremo sul da Bahia, é citado na lista Quatro em cada dez cidades brasileiras consideradas as piores para se viver ficam na Bahia. A informação é baseada em um relatório divulgado anualmente pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), que considera um índice similar ao IDH-M (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal, que avalia longevidade, educação e renda da população) da Organização das Nações Unidas. O Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM) acompanha o desenvolvimento socioeconômico de todos os mais de 5 mil municípios brasileiros também em três áreas de atuação: emprego e renda, educação e saúde. O índice varia de 0 (mínimo) a 1 ponto (máximo) e quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento da localidade. De acordo com os dados da Firjan, 55,2% do total das cidades possuem desenvolvimento moderado, e 1,9% (106 cidades) estão com baixo desenvolvimento, ou seja, abaixo de 0,4. Apenas 332 cidades (6% do total) possuem alto d

Mais um que apoia o Partido das Trevas: Pastor Daniel Elias da Assembleia de Deus vira garoto propaganda do PT para atrair evangélicos

O pastor é uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas evangélicas Pastor Daniel Elias (Reprodução) A nova estratégia do PT (Partido dos Trabalhadores), para ter um melhor desempenho nas eleições municipais de 2020, é a aproximação dos evangélicos. A pedido do ex-presidente Lula, o partido está criando núcleos evangélicos nos estados para tentar conquistar a classe evangélica que já provou que pode fazer a diferença nas urnas. Uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas é o pastor da Assembleia de Deus de Duque de Caxias RJ, Daniel Elias. O líder religioso é militante do PT e discípulo fiel de Lula. Há um ano ele virou notícia em todo país quando viajou até Curitiba, no Paraná, para realizar um ato profético em favor do ex-presidente que estava preso na carceragem da Polícia Federal (PF). Daniel Elias, de 38 anos, ungiu o cadeado do portão da sede da PF. O pastor admite que a articulação enfrenta dificuldades.  “O grupo ligado à direita chegou primeiro

Quem são os 7 pastores mais respeitados do Mundo; Saiba agora

Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem. Outra pergunta é: Ele é tão bom, se é! Por que é? Ou é escolhido bom apenas pela sua fama? Muitas vezes o bom é aquele que contraria as multidões, mas o bom pode também estar entre as multidões, “Não devemos esquecer que por se tratar da Palavra de Deus, o discurso do pregador deve ser embasado nas Escrituras sempre” então fica ai minha dica e junto também uma de suas mensagem. No VÍDEO abaixo você vai conferir os nomes dos pastores que o Brasil inteiro conhece. São pastores de grandes ministérios que contem números altos de fieis sobre a presença de Deus. Hoje nas