Pular para o conteúdo principal

Ministro do STF diz que religiões não devem ser punidas por condenar a homossexualidade

O ministro do Supremo Tribunal Federal votou a favor da criminalização da homofobia, mas defendeu o direito das religiões.


Durante julgamento no Supremo Tribunal Federal nesta quinta-feira (21), o ministro Luís Roberto Barroso disse que a criminalização da homofobia não pode interferir na cosmovisão das religiões.
“Embora eu não concorde com essa ideia, condenar relações homoafetivas com fundamento em sincera convicção religiosa não constitui crime”, concluiu Barroso em seu voto.
Na última terça (12), a frente parlamentar evangélica pressionou o presidente da Corte, ministro Dias Toffoli, para que o tema fosse retirado da pauta do STF. Toffoli, no entanto, decidiu mantê-lo.
Segundo o pastor e deputado federal Marcos Feliciano (PODE-SP), há receio de que a criminalização interfira na liberdade de pastores pregarem contra a homossexualidade nas igrejas.
Embora seja a favor da criminalização da homofobia, Barroso, no entanto, defendeu que a legislação não deve criminalizar os discursos religiosos contrários às relações homoafetivas.
“Tampouco significa que as religiões não possam vocalizar suas crenças ou participar do diálogo amplo e aberto que caracteriza a democracia contemporânea”, observou.
Barroso afirmou que o “sentimento de religiosidade não morreu” com a chegada da revolução científica e do iluminismo, e continuará vivo diante das mudanças na sociedade.
“Por muito tempo, o conhecimento convencional militou na crença de que o Estado moderno, a revolução científica e o iluminismo empurrariam o sentimento religioso para a margem da história, superado pelo racionalismo e pelos avanços tecnológicos”, afirmou. “Se a religião sobreviveu a tudo isso, não será a criminalização da homofobia que irá abalá-la”.
O ministro disse ainda ser “perfeitamente possível” que, em uma sociedade moderna, haja tanto discursos condenando a homoafetividade como discursos contrários à Bíblia, a Torá e ao Alcorão.
Esta foi a quarta sessão do Supremo para analisar duas ações sobre a criminalização da homofobia. Até o momento, a Corte alcançou quatro votos a favor da criminalização. Já votaram os ministros Celso de Mello, Edson Fachin, Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso.
O presidente do STF, ministro Dias Toffoli, ainda não definiu quando o julgamento será retomado.
Fonte: Gospel Geral

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POLÍTICA SOCIAL Vergonha para os baianos: dos 100 piores municípios para se viver em todo país, quase metade desses estão no estado da Bahia

Foto: Jucuruçu, no extremo sul da Bahia, é citado na lista Quatro em cada dez cidades brasileiras consideradas as piores para se viver ficam na Bahia. A informação é baseada em um relatório divulgado anualmente pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), que considera um índice similar ao IDH-M (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal, que avalia longevidade, educação e renda da população) da Organização das Nações Unidas. O Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM) acompanha o desenvolvimento socioeconômico de todos os mais de 5 mil municípios brasileiros também em três áreas de atuação: emprego e renda, educação e saúde. O índice varia de 0 (mínimo) a 1 ponto (máximo) e quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento da localidade. De acordo com os dados da Firjan, 55,2% do total das cidades possuem desenvolvimento moderado, e 1,9% (106 cidades) estão com baixo desenvolvimento, ou seja, abaixo de 0,4. Apenas 332 cidades (6% do total) possuem alto d

Mais um que apoia o Partido das Trevas: Pastor Daniel Elias da Assembleia de Deus vira garoto propaganda do PT para atrair evangélicos

O pastor é uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas evangélicas Pastor Daniel Elias (Reprodução) A nova estratégia do PT (Partido dos Trabalhadores), para ter um melhor desempenho nas eleições municipais de 2020, é a aproximação dos evangélicos. A pedido do ex-presidente Lula, o partido está criando núcleos evangélicos nos estados para tentar conquistar a classe evangélica que já provou que pode fazer a diferença nas urnas. Uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas é o pastor da Assembleia de Deus de Duque de Caxias RJ, Daniel Elias. O líder religioso é militante do PT e discípulo fiel de Lula. Há um ano ele virou notícia em todo país quando viajou até Curitiba, no Paraná, para realizar um ato profético em favor do ex-presidente que estava preso na carceragem da Polícia Federal (PF). Daniel Elias, de 38 anos, ungiu o cadeado do portão da sede da PF. O pastor admite que a articulação enfrenta dificuldades.  “O grupo ligado à direita chegou primeiro

Quem são os 7 pastores mais respeitados do Mundo; Saiba agora

Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem. Outra pergunta é: Ele é tão bom, se é! Por que é? Ou é escolhido bom apenas pela sua fama? Muitas vezes o bom é aquele que contraria as multidões, mas o bom pode também estar entre as multidões, “Não devemos esquecer que por se tratar da Palavra de Deus, o discurso do pregador deve ser embasado nas Escrituras sempre” então fica ai minha dica e junto também uma de suas mensagem. No VÍDEO abaixo você vai conferir os nomes dos pastores que o Brasil inteiro conhece. São pastores de grandes ministérios que contem números altos de fieis sobre a presença de Deus. Hoje nas