Pular para o conteúdo principal

Papa Francisco e líder islâmico sunita assinam pacto que nos imporá a religião mundial

Michael Snyder


Um pacto histórico inter-religioso foi assinado no Oriente Médio na segunda-feira, e a grande mídia nos Estados Unidos tem estado quase completamente em silêncio sobre isso. O xeique Ahmed al-Tayeb é considerado o líder mais importante do islamismo sunita, e chegou à cerimônia de assinatura em Abu Dhabi com o papa Francisco “de mãos dadas em um símbolo de fraternidade inter-religiosa.” Mas isso não foi apenas uma cerimônia para católicos e muçulmanos. Segundo uma fonte de notícias britânica, a assinatura desse pacto foi feita “diante de uma audiência global de líderes religiosos do cristianismo, islamismo, judaísmo e outras religiões”:
O papa e o grande imame de al-Azhar assinaram uma declaração histórica de fraternidade, pedindo a paz entre nações, religiões e raças, diante de uma audiência global de líderes religiosos do cristianismo, islamismo, judaísmo e outras religiões.
O papa Francisco, líder dos católicos do mundo, e o xeique Ahmed al-Tayeb, diretor da mais prestigiada instituição de ensino do islamismo sunita, chegaram à cerimônia em Abu Dhabi de mãos dadas em um símbolo de fraternidade inter-religiosa.
Em outras palavras, houve um esforço conjunto para garantir que todas as religiões do mundo estivessem representadas nesse encontro.
De acordo com o site oficial do Vaticano, uma enorme quantidade de preparação foi investida na elaboração desse documento, e incentiva os crentes de todas as religiões a “apertar as mãos, abraçar uns aos outros, beijar uns aos outros e até rezar” uns com os outros:
O documento, assinado pelo papa Francisco e pelo grande imame de al-Azhar, Ahmed el-Tayeb, foi preparado “com muita reflexão e rezas,” disse o papa. O único grande perigo neste momento, continuou ele, é a “destruição, guerra, ódio entre nós.”
“Se nós crentes não formos capazes de apertar as mãos, nos abraçarmos, nos beijarmos e até rezarmos, nossa fé será derrotada,” disse ele. O papa explicou que o documento “nasce da fé em Deus, que é o Pai de todos e o Pai da paz; condena toda a destruição, todo o terrorismo, desde o primeiro terrorismo da história, o de Caim.”
Há muita linguagem sobre a paz nesse documento, mas faz muito do que de apenas defender a paz.
Repetidas vezes, a palavra “Deus” é usada para identificar simultaneamente Alá e o Deus do cristianismo. Aqui está apenas um exemplo…
Nós, que acreditamos em Deus e no encontro final com Ele e Seu julgamento, com base em nossa responsabilidade religiosa e moral, e através deste Documento, convocamos a nós mesmos, os líderes mundiais, bem como os arquitetos da política internacional e da economia mundial, para trabalhar tenazmente para disseminar a cultura da tolerância e da convivência pacífica; intervir na primeira oportunidade para parar o derramamento de sangue inocente e pôr fim às guerras, conflitos, decadência ambiental e ao declínio moral e cultural que o mundo está experimentando atualmente.
Além disso, o documento também declara corajosamente que “a diversidade de religiões” que vemos no mundo foi “desejada por Deus”:
A liberdade é um direito de toda pessoa: cada indivíduo desfruta da liberdade de crença, pensamento, expressão e ação. O pluralismo e a diversidade de religiões, cor, sexo, raça e linguagem são determinados por Deus em Sua sabedoria, através da qual Ele criou os seres humanos. Essa sabedoria divina é a fonte da qual deriva o direito à liberdade de crença e a liberdade de ser diferente. Portanto, o fato de as pessoas serem obrigadas a aderir a uma determinada religião ou cultura deve ser rejeitado, assim como a imposição de um modo de vida cultural que os outros não aceitam;
Em essência, isso é dizer que é a vontade de Deus que existam centenas de religiões diferentes no mundo e que elas sejam todas aceitáveis aos olhos dEle.
Sabemos que a elite quer uma religião mundial, mas ver os clérigos mais importantes, tanto do catolicismo quanto do islamismo, fazer um esforço público tão dramático para isso é absolutamente impressionante.
Você pode encontrar o texto completo do pacto que eles assinaram no site oficial do Vaticano, neste link.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês da revista Charisma: Pope Francis, Leading Imam Sign Covenant Pushing Us Toward One-World Religion

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quem são os 7 pastores mais respeitados do Mundo; Saiba agora

Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem. Outra pergunta é: Ele é tão bom, se é! Por que é? Ou é escolhido bom apenas pela sua fama? Muitas vezes o bom é aquele que contraria as multidões, mas o bom pode também estar entre as multidões, “Não devemos esquecer que por se tratar da Palavra de Deus, o discurso do pregador deve ser embasado nas Escrituras sempre” então fica ai minha dica e junto também uma de suas mensagem. No VÍDEO abaixo você vai conferir os nomes dos pastores que o Brasil inteiro conhece. São pastores de grandes ministérios que contem números altos de fieis sobre a presença de Deus. Hoje nas

Mais um que apoia o Partido das Trevas: Pastor Daniel Elias da Assembleia de Deus vira garoto propaganda do PT para atrair evangélicos

O pastor é uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas evangélicas Pastor Daniel Elias (Reprodução) A nova estratégia do PT (Partido dos Trabalhadores), para ter um melhor desempenho nas eleições municipais de 2020, é a aproximação dos evangélicos. A pedido do ex-presidente Lula, o partido está criando núcleos evangélicos nos estados para tentar conquistar a classe evangélica que já provou que pode fazer a diferença nas urnas. Uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas é o pastor da Assembleia de Deus de Duque de Caxias RJ, Daniel Elias. O líder religioso é militante do PT e discípulo fiel de Lula. Há um ano ele virou notícia em todo país quando viajou até Curitiba, no Paraná, para realizar um ato profético em favor do ex-presidente que estava preso na carceragem da Polícia Federal (PF). Daniel Elias, de 38 anos, ungiu o cadeado do portão da sede da PF. O pastor admite que a articulação enfrenta dificuldades.  “O grupo ligado à direita chegou primeiro

IRMÃ DULCE, SANTA? SERÁ? IRMÃ DULCE E O SEU LADO OBSCURO

IRMÃ DULCE E O SEU LADO OBSCURO Retrato de Irmã Dulce Deixar de reconhecer que a D. Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, filha de Augusto Lopes Pontes e de Dulce Maria de Souza Brito, conhecida mundialmente como Irmã Dulce, fez um trabalho filantrópico, sacrificial, e altruísta, é ser um ignorante, tendencioso e ingrato. Nascida em 26 de maio de 1914, na capital baiana, e falecida no dia 13 de março de 1992,  foi uma religiosa católica brasileira que dedicou a sua vida a ajudar os doentes e os mais necessitados. Foi beatificada pelo Papa Bento XVI, no dia 10 de dezembro de 2010, passando a ser reconhecida com o título de "Bem-aventurada Dulce dos Pobres". Será canonizada pelo Papa Francisco em uma celebração no Vaticano no dia 13 de outubro de 2019. Por ser muito jovem ela foi recusada pelo Convento de Santa Clara. Formou-se em professora primaria em 08 de fevereiro de 1932 e um ano após entrou para a Congregação Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição de D