Pular para o conteúdo principal

Cristianismo é alvo de genocídio em escala global e mídia se cala, avalia articulista



Por TIAGO CHAGAS


A ação com propósito de aniquilação dos cristãos encampada pelo Boko Haram, na Nigéria, assim como atentados de extremismo religioso em outros países onde os seguidores de Jesus Cristo são minoria, é sempre tratada como um caso isolado e menor na grande mídia, que nega peremptoriamente que o cristianismo seja, atualmente, a religião que mais sofre perseguição no planeta.
Um artigo de Wagner Hertzog aborda o assunto sob a perspectiva de que o cristianismo é um ajuntamento destinado à perseguição, pois o próprio Jesus avisou, em Mateus 24:9, que seus seguidores seriam “pessoas odiadas por todas as nações”.
“O desprezo pela vida humana – especialmente quando crenças ou ideologias políticas totalitárias estão lutando arduamente para tornarem-se supremas e soberanas em um determinado território, sociedade ou país, como é o caso da China, por exemplo – fica evidente quando centenas de cristãos são brutalmente assassinados em decorrência de suas crenças religiosas, mas absolutamente ninguém na mídia mainstream nacional e internacional – e é importante enfatizar, absolutamente ninguém –, dá importância a este fato, que, além de relevante, é da mais urgente gravidade”, criticou Hertzog, em seu artigo publicado pelo portal JM Notícia.
“Nas raras ocasiões em que o genocídio de cristãos é mencionado, fatos são deliberadamente distorcidos para que a culpa pelos massacres e chacinas não recaia sobre os agressores – os muçulmanos. Também é normal omitir a religião das vítimas. Definitivamente, nunca encontramos em publicação alguma a palavra cristofobia. A palavra islamofobia, por outro lado, entrou para o vernáculo cotidiano”, acrescentou.
Essa constatação também foi feita pelo jornalista Reinaldo Azevedo, que publicou em seu blogna revista Veja, em 2017, uma denúncia semelhante: “Há, sim, uma religião perseguida no mundo hoje. É o cristianismo! A quase totalidade de mortes em razão de perseguição religiosa se dá contra cristãos: na Nigéria, no Sudão, na Indonésia, em quase todos os países árabes, sejam eles aliados do Ocidente ou não. Há quase dois milhões de filipinos católicos trabalhando na Arábia Saudita, fazendo o serviço que os nativos se negam a fazer. Estão proibidos de cultuar sua religião. A transgressão é considerada um crime grave. Na Nigéria, no Sudão ou na Indonésia,  não se queimam exemplares da Bíblia, não; queimam-se pessoas mesmo! Ninguém dá a menor pelota porque, afinal, o cristianismo é considerado uma religião ocidental — o que, diga-se, chega a ser uma outra burrice histórica”.
A explicação para essa postura da imprensa, em geral, é apontada por Hertzog como fruto de um posicionamento ideológico: “Isto acontece porque parcela significativa da mídia global é progressista, e o progressismo é um virulento opositor do cristianismo. Como uma filosofia política que carrega os valores beligerantes de satanás, o diabo, nem poderia ser diferente. É óbvio que o cristianismo estará sempre na mira desta agressiva e maledicente ideologia”.
“Hoje, os cristãos nigerianos são vítimas de genocídio, sendo brutalmente massacrados às mãos de tribos jihadistas, que estão executando uma verdadeira campanha de limpeza étnica no território. O objetivo dos extremistas é eliminar os cristãos da região. A parte mais deplorável da tragédia, no entanto, é que a maioria das vítimas são mulheres e crianças. Em sua ensandecida, brutal e virulenta sede de sangue, os bárbaros muçulmanos não poupam nem mesmo a vida de crianças frágeis, indefesas e inocentes. Desde o início de 2018, calcula-se que mais de seis mil cristãos tenham sido assassinados. As comunidades cristãs na Nigéria – tanto católicas quanto protestantes – estão unidas em protestos realizados para chamar a atenção das autoridades políticas para a tragédia; o governo, no entanto, se mantém completamente omisso e negligente, não oferecendo o menor auxílio para os refugiados e perseguidos. Sua displicência criminosa mostra de que lado eles estão”, avaliou Hertzog.
A maior perseguição aos cristãos acontece pela mão dos extremistas muçulmanos. Fato inconteste. A religião, que se organiza para ocupar, através da imigração, toda a sociedade ocidental, planeja de forma bastante enfática crescer em sociedades nas quais são minoria: em maio de 2018, um líder islâmico brasileiro revelou planos de tornar a religião a terceira maior do Brasil em pouco tempo; em 2014, a Turquia se propôs a financiar a construção de mesquitas na América do Sul.
Segundo a Missão Portas Abertas, a maioria dos países que integram a lista de 50 maiores perseguidores dos cristãos é formada por nações de predominância muçulmana. “A mídia insiste em ignorar sistematicamente as agressões que cristãos sofrem diariamente. […] Hoje, no mínimo 245 milhões de cristãos vivem em território hostil ao cristianismo. Ásia e África, sem dúvida nenhuma, são os piores continentes para os praticantes do cristianismo”, situou o articulista.
“Pouquíssimos países são tolerantes. Na verdade, ser um cristão praticante nestas regiões é um verdadeiro ato de fé. Em abril de 2015, 148 cristãos foram brutalmente assassinados por extremistas jihadistas em uma universidade no Quênia. No próximo mês, este nefasto e deplorável massacre completará quatro anos. Não obstante, não vemos referência alguma sobre o mesmo na mídia”, insistiu Hertzog, reforçando seu argumento.
“Nigéria, Birmânia e China lideram a lista dos países que atualmente mais perseguem cristãos. A China, como sabemos, lançou-se em uma brutal campanha para erradicar todas as religiões do seu território. Recentemente, o governo passou a oferecer recompensas em dinheiro – que podem chegar a US$ 1.500 – para quem denunciar parentes ou amigos cristãos. […] No Mali, no último sábado, 110 cristãos foram assassinados por jihadistas, em uma região que sofre com a violência crônica de extremistas muçulmanos. A mídia mainstream, previsivelmente, omitiu a religião das vítimas”, concluiu.
Fonte: Gospel Prime

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quem são os 7 pastores mais respeitados do Mundo; Saiba agora

Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem. Outra pergunta é: Ele é tão bom, se é! Por que é? Ou é escolhido bom apenas pela sua fama? Muitas vezes o bom é aquele que contraria as multidões, mas o bom pode também estar entre as multidões, “Não devemos esquecer que por se tratar da Palavra de Deus, o discurso do pregador deve ser embasado nas Escrituras sempre” então fica ai minha dica e junto também uma de suas mensagem. No VÍDEO abaixo você vai conferir os nomes dos pastores que o Brasil inteiro conhece. São pastores de grandes ministérios que contem números altos de fieis sobre a presença de Deus. Hoje nas

Mais um que apoia o Partido das Trevas: Pastor Daniel Elias da Assembleia de Deus vira garoto propaganda do PT para atrair evangélicos

O pastor é uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas evangélicas Pastor Daniel Elias (Reprodução) A nova estratégia do PT (Partido dos Trabalhadores), para ter um melhor desempenho nas eleições municipais de 2020, é a aproximação dos evangélicos. A pedido do ex-presidente Lula, o partido está criando núcleos evangélicos nos estados para tentar conquistar a classe evangélica que já provou que pode fazer a diferença nas urnas. Uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas é o pastor da Assembleia de Deus de Duque de Caxias RJ, Daniel Elias. O líder religioso é militante do PT e discípulo fiel de Lula. Há um ano ele virou notícia em todo país quando viajou até Curitiba, no Paraná, para realizar um ato profético em favor do ex-presidente que estava preso na carceragem da Polícia Federal (PF). Daniel Elias, de 38 anos, ungiu o cadeado do portão da sede da PF. O pastor admite que a articulação enfrenta dificuldades.  “O grupo ligado à direita chegou primeiro

IRMÃ DULCE, SANTA? SERÁ? IRMÃ DULCE E O SEU LADO OBSCURO

IRMÃ DULCE E O SEU LADO OBSCURO Retrato de Irmã Dulce Deixar de reconhecer que a D. Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, filha de Augusto Lopes Pontes e de Dulce Maria de Souza Brito, conhecida mundialmente como Irmã Dulce, fez um trabalho filantrópico, sacrificial, e altruísta, é ser um ignorante, tendencioso e ingrato. Nascida em 26 de maio de 1914, na capital baiana, e falecida no dia 13 de março de 1992,  foi uma religiosa católica brasileira que dedicou a sua vida a ajudar os doentes e os mais necessitados. Foi beatificada pelo Papa Bento XVI, no dia 10 de dezembro de 2010, passando a ser reconhecida com o título de "Bem-aventurada Dulce dos Pobres". Será canonizada pelo Papa Francisco em uma celebração no Vaticano no dia 13 de outubro de 2019. Por ser muito jovem ela foi recusada pelo Convento de Santa Clara. Formou-se em professora primaria em 08 de fevereiro de 1932 e um ano após entrou para a Congregação Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição de D