quarta-feira, 26 de junho de 2019

Porte de armas: o que a Bíblia realmente diz?

Por Júlio Severo


O Rev. Gary Hall certa vez telefonou para os legisladores em Washington para pararem de ter medo dos grupos de pressão pró-armas e cumprir seu “dever moral” de restringir as armas: “Todos nesta cidade parecem estar vivendo com pavor dos grupos de pressão pró-armas,” disse Hall. “Mas creio que os grupos de pressão pró-armas não são páreos para os grupos de pressão da cruz.” Os comentários de Hall são desanimadores.
O que estamos vendo hoje não é um problema de armas. É um problema moral chamado pecado. Estamos testemunhando a deterioração rápida dos Estados Unidos. Os EUA perderam sua bússola moral… perderam o temor do Senhor. Quando o temor do Senhor diminui, o mal aumenta. “Um povo que valoriza seus privilégios acima de seus princípios logo perde ambos” (Dwight D. Eisenhower).
Um dos versículos da Bíblia muitas vezes usado para apoiar a proibição de armas se acha em Provérbios 20:22: “Não murmures: Eu te farei pagar pelo mal que me fizeste!” Entrega a tua vindicação ao SENHOR, e Ele te dará a vitória!” (KJA) Esse versículo está lidando com vingança e fazer justiça com as próprias mãos, não defesa pessoal.
De acordo com Romanos 13:4 um dos propósitos das autoridades é “punir quem pratica o mal.” Eles são os vingadores de Deus: “Os homens, em resumo, devem necessariamente ser controlados, ou por meio de uma força dentro deles, ou por meio de uma força fora deles; ou pela Palavra de Deus, ou pelo braço forte do homem; ou pela Bíblia, ou pela baioneta” (Robert Winthrop 1809 – 1894).
Mas não me interprete mal… como cristãos, creio que devemos buscar a paz em todos os momentos e não misturar fanaticamente patriotismo americano com o Cristianismo. Mas e quanto à defesa pessoal como último recurso e autorizações bíblicas de se proteger? O Antigo Testamento oferece uma superabundância de exemplos, mas e quanto ao Novo Testamento? Em Mateus 26:52 (NVI) Jesus diz para Pedro: “Guarde a espada! Pois todos os que empunham a espada, pela espada morrerão.” Jesus não denunciou a espada, mas esclareceu qual é o seu lugar. Quando adotamos ação prematura e emocionalmente carregada, pode nos custar a vida.
Mais tarde Jesus acrescenta: “Vocês vêm com espadas e porretes para me prender como se eu fosse um bandido?” (NVI) Se Ele fosse um ladrão e bandido, os porretes e as espadas teriam sido justificados. Em minha opinião, essas passagens da Bíblia indicam que as armas têm de fato um lugar na sociedade, embora tenhamos de ter cuidado.
Além disso, em Lucas 22:36 Jesus diz: “Mas agora, se vocês têm bolsa, levem-na, e também o saco de viagem; e se não têm espada, vendam a sua capa e comprem uma.” (NVI) O que se deve fazer com essa passagem bíblica? Primeiro, prefiro errar do lado da paz, mas nem sempre essa é uma opção. Uma coisa é certa: uma espada é para defesa. Jesus inicialmente os enviou numa viagem missionária pacífica em que eles não precisavam desses itens, mas agora Jesus pode estar dizendo: “Fui a provisão e proteção de vocês, e ainda sou, mas também quero que vocês estejam preparados… para usar a sabedoria.”
Mas alguns poderão argumentar: “Jesus não disse que devemos amar nossos inimigos e abençoar os que nos amaldiçoam, e fazer bem aos que nos odeiam, e orar pelos que nos tratam com desprezo e nos perseguem?” (cf. Mateus 5:43-48.) Sim. No entanto, essas referências se referem a agressões pessoais, ofensas e assassinatos de caráter. É dar um salto gigantesco acreditar que Jesus está dizendo: “Faça bem aos que estão tentando aleijar ou destruir você e sua família.”
Paulo diz a Timóteo que se “alguém não cuida de seus parentes, e especialmente dos de sua própria família, negou a fé e é pior que um descrente” (1 Tim. 5:8 NVI). Mas os que buscam proteger sua família, que é muitas vezes uma responsabilidade maior (ou até mesmo igual), são muitas vezes rotulados de belicistas e acusados de fazer mau uso da Bíblia.
Precisamos ler a Bíblia em sua totalidade. Por exemplo, quando Jesus levou um tabefe, Ele não virou a outra face. Ele disse: “Se eu disse algo de mal, denuncie o mal. Mas se falei a verdade, por que me bateu?” (João 18:23 NVI). Embora devamos errar do lado da graça e paz, há uma ocasião e lugar para confronto e proteção.
Compreenda de forma clara que não estou defendendo a violência ou a agressão. Estou defendendo coerência e coesão bíblica. O contexto é o fator principal aqui. Perdoar não significa ser passivo, e conceder graça não significa ser ingênuo.
Temos o chamado de proteger nossas famílias de forma espiritual, emocional e financeira, mas não de forma física? Isso não faz sentido. Contudo, minha preocupação com o debate sobre armas é que estamos absorvendo o frenesi do medo. Uma minimização da soberania tem relação direta com o aumento da preocupação.
Muitos estão preparados militarmente, mas não espiritualmente; instilando medo doentio em suas famílias. Estamos colocando o temor do homem neles em vez do temor de Deus. Ouço muitos cristãos falando sobre marcas de armas, mas pouco sobre quebrantamento, entrega a Deus e humildade. Nossas armas estão carregadas de balas, mas o quarto da oração está vazio. Esse é o problema real — precisamos gastar menos tempo assistindo programas conservadores seculares de TV (O’Reilly, Hannity, Beck e Coulter), e mais tempos lendo Mateus, Marcos, Lucas e João.
Toda vez que o povo de Deus confiou em suas armas e exércitos, Ele os chamou ao arrependimento. Nossa proteção está em nossa atitude de nos submetermos diariamente a Ele. O Salmo 121:2 (KJA) acrescenta: “De onde me virá o socorro? O socorro virá do meu SENHOR, o Criador dos céus e da terra! Ele não deixará que teus pés vacilem; não pestaneja Aquele que te guarda.”
A tendência atual nos chama a tomar muito cuidado com quem, ou o que, “adoramos,” ou em quem, ou no que, colocamos nossa confiança.
Shane Idleman é o fundador e o pastor principal da Comunidade Cristã Westside em Lancaster, na Califórnia.
Traduzido por Julio Severo do original da revista Charisma (a maior revista pentecostal do mundo): Guns—What Does the Bible Really Say?
Fonte: www.juliosevero.com


Meninas lésbicas matam adolescente e postam vídeo do crime

Elas torturaram e mataram a jovem por causa de ciúmes

Mais um crime cometido por gays e a imprensa não dá enfase a opção sexual da assassinas. Mas se a vítima fosse homossexual e as assassinas héteros, a história seria outra

Menina foi torturada e morta por causa de ciúmes Foto: Reprodução

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas em pé, água e atividades ao ar livre

Duas adolescentes são acusadas de torturar e matar uma menina de 14 anos na Praia da Maria Farinha, em Paulista, no Grande Recife. Elas registraram o crime e publicaram as imagens nas redes sociais. Elas foram apreendidas nesta terça-feira (25) pela Polícia Civil. A morte teria sido motivada por ciúmes.
Segundo o delegado Augusto Cunha, as meninas, que têm 15 anos, deram socos e chutes na vítima, além de golpes de faca. Elas também tentaram afogar a menina no mar. A garota agredida é ex-namorada da menina que filmou o crime.
– A outra, que aparece no vídeo praticando a maioria das agressões, seria atual da outra agressora. Essas informações são preliminares – disse um dos policiais.
No vídeo divulgado nas redes sociais, a vítima aparece sendo espancada. Ela veste o uniforme da Rede Municipal de Ensino do Recife, que está ensanguentado.
As adolescentes, que já tinham passagem pela polícia e cumpriram medidas socioeducativas, prestaram depoimento na Delegacia da Maria Farinha. De acordo com a polícia, elas estavam sob efeito de drogas quando praticaram o crime, na manhã da terça-feira. Elas foram apreendidas e ouvidas durante a tarde.
Por serem menores de idade, as duas foram autuadas em flagrante por ato infracional equivalente a homicídio.
Fonte: Adaptado do Pleno News

Criminalização da homofobia pode ser revertida

Tudo depende da coragem do Parlamento

STF. (Foto: Nelson Jr./SCO/STF)

Muitas organizações sociais rejeitaram a decisão do STF que equiparou homofobia ao racismo. E do Congresso podem vir ações importantes visando reverter a criminalização.

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) apresentou o Projeto de Decreto Legislativo nº 401 para sustar os efeitos da decisão do Supremo. O problema é que, apesar de protocolado em 17 de junho, no dia seguinte o mesmo senador pediu sua retirada. Por qual motivo recuou?
Na Câmara dos Deputados, por outro lado, o deputado federal Márcio Labre (PSL/RJ) apresentou o Projeto de Lei nº 3.266, alterando a Lei de Racismo (Lei nº 7.716/1989) para constar que “Não se enquadra, nem de forma análoga, em qualquer hipótese e a qualquer tempo, nas tipificações de crime de preconceito de raça ou de cor, a homofobia ou outra forma de orientação sexual.”
O problema? Esse PL não teve sequer um andamento na Câmara.
É preciso que o Poder Legislativo zele pela manutenção de sua competência. Mas isso implica em “comprar briga” com o próprio STF, que julga Deputados e Senadores por seus eventuais crimes.
Será que haverá coragem do Parlamento?

Fonte: Direito e Religião

“Você vai cair pelas mãos dos LGBTs”, diz “marido” de Glenn Greenwald a Bolsonaro

David Miranda (PSOL-RJ) assumiu vaga na Câmara no lugar de Jean Wyllys.


Por Michael Cacere

David Miranda. (Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados)

O deputado David Miranda (PSOL-RJ) afirmou neste domingo (23) que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) “vai cair pelas mãos dos LGBT”. A ameaça do político foi feita durante uma entrevista ao Yahoo!, durante a 23ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo.

“A Parada acontece em momento crucial porque temos hoje um presidente que é um nêmesis contra a nossa população, ele é LGBTfóbico. Estamos resistindo na rua, mas com alegria, com famílias, amigos e irmãos, mas com o punho cerrado e mandando o recado: Ei, Bolsonaro, você vai cair pelas mãos dos LGBT”, disse.
Miranda assumiu uma vaga na Câmara dos Deputados após renúncia de Jean Wyllys, que deixou o país utilizando uma narrativa de perseguição e ameaça de morte. A transição entre Wyllys e Miranda está sob suspeita de venda de mandato, com pedidos para que a Polícia Federal investigue o caso.
Um pedido de investigação foi protocolado pelo deputado José Medeiros (PODE-MT), que suspeita que  Jean Wyllys  pode ter vendido seu mandato para o suplente, David Miranda.
Medeiros protocolou um ofício para a Procuradoria-Geral da República (PGR) e para a Polícia Federal (PF) reforçando o pedido de investigação.
Recentemente o nome do deputado ganhou destaque na imprensa pelo seu relacionamento homossexual com o jornalista Glenn Greenwald, responsável por vazar conversas pessoais de autoridades no site The Intercept. As conversas foram obtidas de forma ilegal.
“Tivemos um parlamentar assumido LGBTI que teve de sair do país porque foi minado com terrorismo durante muito tempo. No Rio, uma outra parlamentar, Marielle, foi assassinada porque também era LGBT. Estamos na rua para resistir e mostrar que nossos corpos estão resistindo com alegria”, disse David Miranda.

Coisas que (quem sabe) você deixou passar no julgamento do STF criminalizando a homofobia

Nossas crianças também ficarão vulneráveis ao politicamente correto.

Bandeira gay. (Photo by Yannis Papanastasopoulos on Unsplash)

A ADO 26 e o MI nº 4733 – que enquadram a homofobia ao crime de racismo, votadas na semana passada pelos Ministros do Supremo Tribunal Federal, ainda nos deixam preocupados.

Uma análise sobre alguns pontos dissertados pelos Ministros da Suprema Corte, pode aumentar nossa preocupação.
Com base em uma análise detalhada das fontes citadas nos votos dos Ministros STF, procuramos entender até que ponto tais referências – citadas como base para seus votos – estão envolvidas em planos de engajamento ideológico para promover uma conscientização a nível global: propagar a ideologia de gênero, remodelar condutas e formar novos pensamentos com fim de estimular a homossexualidade e superproteger aqueles que não conseguiram comprovar se de fato são vítimas.
Assim como a liberdade religiosa, de opinião e a de expressão restam desemparadas neste sentido, nossas crianças também ficarão vulneráveis ao politicamente correto com a escola e os amigos, podendo ser submetidas à aulas sobre sexualidade [o que já acontece em escolas pelo Brasil], e frequentemente ensinadas sobre um [suposto] preconceito, junto com um incentivo para “descobrir-se a si mesmo”.
Com a legislação reforçada, ativistas ganham mais ousadia para provocar, sendo o revide argumentativo e urbano ou a mera discordância rapidamente tachados como crime de ódio. 
Utilizar o meio legislativo como instrumento para impor, de forma totalitária, que qualquer contrariedade aos homossexuais pode ser punida como discurso de ódio não é a única consequência de tal acréscimo legislativo.
Existem outras consequências práticas do discurso dos ministros (no vídeo abaixo discorremos sobre), assim como a sua insensibilidade com todos os ônus que isso pode acarretar aos outros: principalmente aqueles que amam viver conforme sua confissão de fé e educar seus filhos no caminho correto. 

ADO 26: Criminalização da Homofobia (Parte 1) Thiago Vieira e Jean Regina


ADO 26: Criminalização da Homofobia (Parte 2) Thiago Vieira e Jean Regina




Fonte: Direito Religioso

quarta-feira, 19 de junho de 2019

terça-feira, 18 de junho de 2019

Filho de Flordelis confessou que matou pai a mando de irmão, diz polícia

Motivo da morte seria uma suposta traição do pastor

Anderson do Carmo e Flordelis. (Foto: Divulgação / Gideões)

A delegada Barbara Lomba, titular da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo, declarou que Lucas dos Santos, 18 anos, filho adotivo de Flordelis e Anderson do Carmo confessou ter matado o pai.
O crime teria sido encomendado por Flávio Rodrigues de Souza, 38 anos, filho biológico apenas de Flordelis. A motivação do crime teria sido a descoberta de que o pastor havia traído a deputada federal.
Lucas aparece nas imagens que mostram o momento que o pastor é executado. “As imagens são ótimas”, disse a delegada segundo o jornal O Globo, se referindo ao vídeo das câmeras de segurança onde é possível ver Lucas agindo contra o pai.
Lomba também confirma que os dois filhos foram presos por outros crimes, conforme declarou Flordelis. Flávio foi preso por violência doméstica, uma medida de segurança antiga que ainda estava pendente.
Lucas foi preso por tráfico de drogas, crime que cometeu quando era menor.
Fonte: Gospel Prime

segunda-feira, 17 de junho de 2019

Irã diz ter direito de executar homossexuais por “valores morais”

As mortes são em público como forma de reprimir a população

Com a palavra a mídia esquerdopata do Brasil

Encenação de enforcamento em protesto contra ministro do Exterior do Irã. (Foto: Thomas Peter / Reuters)

O ministro das Relações Exteriores da República Islâmica do Irã, Mohammad Javad Zarif, justificou a execução de homossexuais com os “valores morais” que fazem parte da sociedade iraniana.

Naquele país os homossexuais são punidos com a morte e o repórter Paul Ronzheimer, do jornal alemão Bild, questionou o ministro sobre este assunto através do Twitter.
A resposta foi: “Nossa sociedade tem princípios morais e vive de acordo com esses princípios. Esses são princípios morais com relação ao comportamento das pessoas em geral. E por isso que a lei é mantida e você deve obedece-la”.
A forma como o Irã trata a homossexualidade é questionada por integrantes da ONU. Entre eles o embaixador dos EUA na Alemanha, Richard Grenell, que em entrevista ao Jerusalém Post disse que tais medidas ferem a Declaração de Direitos Humanos.
“Essas respostas do regime iraniano estão violando os princípios básicos da ONU. Os membros da ONU devem concordar com a Declaração para serem membros. Criminalizar a homossexualidade viola a Declaração, pura e simplesmente”, revelou.
Ronzheimer também perguntou sobre o posicionamento de Zarif em relação ao direito de Israel existir e ele respondeu: “O problema são as políticas agressivas de Israel e dos EUA”.
O Irã tem enviado diversas mensagens que incomodam os EUA, aumentando a tensão entre os países do Oriente Médio.
Fonte: Gospel Prime

Vaticano propõe ordenar padres casados na Amazônia

SERÁ DESESPERO OU ESTRATÉGIAS PARA ESTANCAR AS GRANDES PERDAS DE FIÉIS?
Também há a possibilidade de ordenar "pastoras" para a igreja

Crédito: AFP
(Arquivo) Papa Francisco (Crédito: AFP)

CIDADE DO VATICANO, 17 JUN (ANSA) – O Vaticano divulgou nesta segunda-feira (17) o documento preparatório para o Sínodo dos Bispos sobre a Amazônia, que acontecerá de 6 a 27 de outubro e discutirá a evangelização de povos nativos e a preservação da floresta.
O relatório abre a possibilidade de laicos casados se tornarem padres, mas apenas sob determinadas condições. A ideia já era discutida desde o ano passado, após a convocação da assembleia episcopal pelo papa Francisco.
“Afirmando que o celibato é um presente para a Igreja, se pede que, nas zonas mais remotas da região, se estude a possibilidade de ordenação sacerdotal de idosos, preferivelmente indígenas, respeitados e aceitos por sua comunidade, ainda que já tenham uma família constituída e estável”, diz o documento.
A ideia seria estender o sacerdócio aos chamados “viri probati”, homens casados, de fé comprovada e capazes de administrar espiritualmente uma comunidade de fiéis. O objetivo seria aumentar o número cada vez menor de padres na Amazônia.
O documento ressalta que as comunidades amazônicas enfrentam dificuldade para celebrar a Eucaristia por falta de sacerdotes.
“Por isso, ao invés de deixar as comunidades sem Eucaristia, devem ser mudados os critérios de seleção e preparação de ministros autorizados a celebrá-la”, diz o Vaticano.
O relatório ainda evidencia a “contribuição decisiva” de homens e mulheres nativos para “dar impulso a uma autêntica evangelização do ponto de vista indígena, segundo seus hábitos e costumes”. “Trata-se de indígenas que pregam a indígenas com um profundo conhecimento de sua cultura e seu idioma, capazes de comunicar a mensagem do Evangelho com a força e a eficácia de sua bagagem cultural”, acrescenta o documento.
Além disso, o Vaticano pede aos bispos que discutam formas de garantir espaços de “liderança” às mulheres, especialmente na área de formação. Entre outras coisas, o relatório sugere que seja “identificado o tipo de ministério oficial que possa ser conferido às mulheres, tendo em conta o papel central que elas desenvolvem na Igreja amazônica”, diz o texto.
O documento também cita o “alarmante” número de “mártires” na Amazônia, especificamente no caso do Brasil, com 1.119 índios assassinados entre 2003 e 2017, segundo dados do relatório “Violência contra os Povos Indígenas”.
O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, já admitiu que o Sínodo sobre a Amazônia gera “preocupação” no governo Bolsonaro, que vem sendo criticado internacionalmente por afrouxar as políticas ambientais do país.
(ANSA)
Fonte: Revista Isto É


Filho de Flordelis é detido após enterro do pai suspeito de envolvimento na morte do pastor

Filho de Flordelis é detido após enterro do pai suspeito de envolvimento na morte do pastor


Filho de Flordelis é detido após enterro do pai suspeito de envolvimento na morte do pastor

Um dos filhos da deputada federal Flordelis (PSD-RJ), de 58 anos, e do pastor Anderson do Carmo de Souza, 42, foi detido logo após o enterro do pai, no início da tarde desta segunda-feira. De acordo com apuração do jornal O DIA, o homem identificado com Flávio, é apontado pela polícia como o principal suspeito pela morte do pastor, na madrugada de sábado para domingo (16), em Niterói, na Região Metropolitana do estado.
O DIA já havia antecipado que a principal linha de investigação do crime é de execução, que teria sido acontecido por uma desavença familiar envolvendo dinheiro.
A mulher do suspeito desmaiou quando ele foi levado pelos policiais, em um carro descaracterizado. "Vocês estão fazendo isso, vão achar que eu sou bandido", disse o homem, ao ser conduzido pelos agentes.
Após o filho ser levado pelos policiais, Flordelis rechaçou a participação dele no caso: "Isso é uma grande mentira, uma inverdade. É especulação. Não vou permitir que ninguém acuse nenhum dos meus filhos sem ter provas", reclamou.
Mais cedo, durante um evento público, o governador Wilson Witzel (PSC) já havia dito que um dos filhos do casal é investigado no caso.
"A morte nos causa muita perplexidade. Ontem, estive com o secretário de Polícia Civil e ele me disse que há suspeita de que um dos filhos adotados, não sei se formalmente ou informalmente, teria praticado o crime. Agora, está nessa linha de investigação. É um fato lamentável e espero que tudo seja rapidamente esclarecido. Vamos acompanhar a investigação", disse Witzel.

No entanto, no início desta tarde, o DIA apurou que o filho detido não é adotivo e sim biológico.
Fonte: CPAD NEWS

Lobo em pele de dragão

Acreditar em alguma semelhança do pensamento esquerdista com o pensamento cristão, não é ingenuidade. É demência. Não é nem miopia.

Karl Marx. (Foto: Reprodução)

Nada é mais anticristão que o comunismo. Não só porque o ateísmo é o seu fundamento e porque ele se desenvolve na negação de qualquer coisa além da matéria, de qualquer vida além da social.
Não só porque a dupla Marx-Engels acreditava ter descoberto a chave da história e qualquer outra explicação, principalmente a cristã, não passava de mero embuste, nem merecia atenção. Não só porque a crítica à religião sempre foi sua grande crítica. Mas principalmente porque ele matou milhares de cristãos em sua senda sanguinária, unicamente porque eles eram cristãos. Só isto já basta.

Portanto, a tentativa da esquerda de apossar-se dos símbolos e conceitos do cristianismo para defender seus interesses soa abertamente ridícula. Seria o mesmo que dizer que Maomé foi um pacifista, Hitler um democrata e conceder a Idi Amin o Nobel da paz. Isso só faria sentido no mundo distópico de 1984, aliás, obra imperdível para quem quer entender tanto as monstruosidades quanto as sutilezas cruéis do pensamento esquerdista. Ainda posso dizer que tentar unir cristianismo e esquerdismo faz tanto sentido quanto a “ditadura democrática” que Mao Tsé Tung afirmou estar construindo. Quadrados redondos, fogos frios e luzes escuras do marxismo.
Mas isto não é novo. Na década de 80, naquilo que hoje se chama ensino médio, eu já tinha meu professor-doutrinador esquerdista, como obriga a cartilha gramsciana. Chamava-se Mário.
Para variar, professor de história (segundo estatísticas 88% são esquerdistas). Eu era um recém convertido ao cristianismo evangélico e ele tentava nos convencer que a descrição da Igreja de Jerusalém era exatamente o que o comunismo pregava. Claro que ele não disse que, tirando o fato que dos cristãos voluntariamente repartirem seus bens, tudo no comunismo era diferente.
Não havia um Deus para sancionar valores morais; Jesus não tinha nenhuma importância no comunismo; ao invés de ato voluntário, o comunismo teria que ser forçado a preço de sangue (e quanto sangue!) contra os discordantes. Também, apesar de professor de história, nunca nos contou nada sobre padres, pastores e cristãos em geral sendo mortos por trás das cortinas. Isso eu aprendi lendo a literatura sobre o assunto. Enfim, eu não era nenhum expert nem em cristianismo nem em comunismo, mas não engoli a farsa.
E esse sincretismo descarado e sem-vergonha, vai tentando se impor, não mais nos meios teológicos e acadêmicos, como faz a teologia da libertação e da missão integral. Quer agora convencer os cristãos em geral que Jesus foi o fundador do comunismo!
Isto também não me espanta. As religiões não cristãs, para conquistar o Ocidente, há muito que usam certos termos bíblicos, teológicos ou cristãos como disfarce.
A Nova Era, puro misticismo hindu, fala do “Cristo cósmico”. A Igreja Messiânica, pura religião japonesa, se diz igreja, mas rejeita o Novo Testamento e seu “messias” é japonês, mesmo que o conceito e a palavra sejam hebraicos. O marxismo, como religião política, também tenta seus sincretismos.
Os escravos africanos, para manter seus deuses, apelaram para o sincretismo. Oxála virou Jesus Cristo, Iansã virou Santa Barbará, Ogum virou São Jorge. E daí por diante. Os socialistas tentam fazer o mesmo. Jesus é um revolucionário social, Deus uma expressão de agonia econômica, Reino de Deus vira sistema socialista, salvação eterna se transforma em fim das classes sociais, enquanto proletários e camponeses são uma classe semi-divina que redimirá a humanidade. Só falta dizer que Lula é o apóstolo Paulo e os fundadores do PT o grupo dos Doze.
Acreditar em alguma semelhança do pensamento esquerdista com o pensamento cristão, não é ingenuidade. É demência. Não é nem miopia.
É cegueira completa. As tentativas de unir ambos é puro embuste. Não se trata de água e óleo que não se misturam. Trata-se de trevas e luz que não podem permanecer simultaneamente em um mesmo lugar. Seja dentro de uma mente coerente, seja formando o contexto cultural.
Cristãos do Brasil, uni-vos. E não permitais que esse lobo em pele de dragão seja tratado como um cordeiro inofensivo. Ingenuidade não é virtude. Covardia não é força.
Fonte: Gospel Prime

domingo, 16 de junho de 2019

Teologia do Coaching: modismo para desvirtuar e corromper a igreja

O risco de permitir ensinamentos que substituem a pregação do Evangelho.

Por Samuel Gonçalves

Jogo de basquete. (Photo by Markus Spiske on Unsplash)

A Igreja tem um papel insubstituível neste mundo, que é o de anunciar o Evangelho e edificar os santos. Mas constantemente modismos e ondas adentram as portas dos templos, corroborando para a desvirtuação dos ensinamentos eclesiásticos e desviando os cristãos do cristianismo bíblico, daquilo que à Escritura apresenta como verdade insubstituível.

Um exemplo destes modismos, é a famigerada “Teologia da Prosperidade”, que popularizou-se nas mais diversas denominações, manchando a reputação até mesmo de igrejas tradicionais, que em muitos casos se deixaram seduzir pelos falsos ensinamentos de riquezas terrenas e barganha com Deus.
Mas algo novo surge por aí e vem se popularizando cada vez mais, tomando os púlpitos em um ritmo acelerado e sendo aceito por todo o tipo de liderança. Falo desta onda da “Teologia do Coaching”, que visa substituir a pregação do Evangelho, das sãs doutrinas de Cristo, por palestras de orientação profissional, motivacional e de autoajuda.
Reitero que nada tenho contra coaching ou contra qualquer tipo de orientação, profissional ou motivacional, ainda que tenha algum receio com autoajuda – o que não vem ao caso neste artigo. Minha real preocupação é com o uso dos púlpitos, que deveriam servir unicamente para a pregação da Palavra, sendo tomados pela valorização deste tipo de palestra que enaltece competências e habilidades humanas.
Faz-se necessário uma crítica sincera a este modismo. A Igreja jamais deve aceitar a substituição do ensino da Bíblia por qualquer outra coisa. Sei que para muitos isso é ser saudosista, mas para mim trata-se apenas de valorizar a Palavra e o Santo Evangelho. Como disse Lutero: “Minha consciência é escrava da Palavra de Deus”.
É evidente que, como já disse, a Igreja tem o papel de edificação, e isso pode incluir o desenvolvimento pessoal, profissional e social. No entanto, existe lugar e espaço para uso de ferramentas de coaching. Utilizá-las nos cultos, abandonando as mensagens evangelísticas e doutrinárias de seus pastores, no entanto, é o mesmo que substituir a Palavra de Deus.
Pregadores que abandonaram os honrosos títulos eclesiásticos, adotando agora o “coach” e “master coach” como forma de competência para utilizar os púlpitos, com o objetivo de falar de temáticas que nada tem com o cristianismo, são no mínimo neófitos. Para nós, evangélicos, isso representa o abandono da fé.
A Igreja não deve se reunir em seus templos para ouvir palestras de orientação profissional, autoajuda ou motivação, mas sim pastores e profetas que tenham a Palavra revelada por Deus. Muitas vezes pessoas repetindo textos de livros de autoajuda e recitando frases sem citar o autor tomam os púlpitos com o objetivo de vender a imagem de vencedor para promover o comércio de produtos.
A Palavra de Deus adverte: “Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema” (Gálatas 1:8). O que Paulo está afirmando, é que nada pode substituir os ensinamentos da Palavra de Deus.
Se já não bastasse a série de heresias que temos de enfrentar, ainda precisamos explicar sobre a importância de manter nossos púlpitos focados na Palavra. Todo o nosso esforço pastoral em conduzir aqueles sob nossa responsabilidade através de uma pregação genuína, hoje vem sendo confrontado com técnicas mirabolantes e milagrosas de autoafirmação.
O pastor da igreja, o anjo que guia o rebanho de Cristo, ele é a autoridade máxima e o maior pregador em nossos púlpitos. Tratando das questões espirituais, nenhum conhecimento acadêmico pode preparar alguém para a excelência do santo ministério. Tão pouco quando esse conhecimento tem a pretensão de substituir a Palavra de Deus.
Que a Igreja possa lembrar-se disso, e os líderes venham a se conscientizar de que a “Teologia do Coching” é apenas um modismo que pouca coisa acrescenta para o crescimento espiritual dos santos. Deus possa nos conduzir através de um caminho de santidade e referência a Sua Palavra.
Fonte: Gospel Prime

Pr Anderson do Carmo DETONA TV GLOBO


Pr Anderson do Carmo DETONA TV GLOBO




Fonte: CIM - Congresso Internacional de Missões

Pastor Anderson do Carmo, esposo de Flordelis, é assassinado com 15 tiros

O casal voltava de um restaurante quando foi surpreendido na porta da residência em Niterói.

Pastor Anderson do Carmo. (Foto: Reprodução / Instagram)

O esposo da cantora e deputada federal Flordelis, pastor Anderson do Carmo, foi morto na madrugada deste domingo (16).

O casal havia saído para lanchar e, na volta para casa, em Niterói (RJ), acabou sendo surpreendido por bandidos, que dispararam 15 vezes contra o líder evangélico.
Ele era o articulador político de Flordelis e planejava lançá-la como candidata a prefeita de São Gonçalo, segundo o jornal O Dia.
O pastor chegou a ser levado com vida para um hospital particular, mas não resistiu.
O crime está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios de Niterói (DHNSG). A Polícia acredita que ele foi seguido até o local do crime e possa ter sido alvo de uma execução.

História

Anderson ficou conhecido por, ao lado da esposa, ter 55 filhos, sendo 51 adotados. Ele também era o dirigente da Cidade do Fogo, em São Gonçalo (RJ), que promovia eventos evangelísticos.
Anderson do Carmo e família. (Foto: Reprodução / Redes Sociais)

Segundo a assessoria da deputada Flordelis, ela se encontra na sua residência bastante abalada com tudo o que aconteceu. Ela deve se pronunciar sobre o acontecido através de uma nota que será divulgada nas redes sociais.

Flordelis e Anderson do Carmo. (Foto: Reprodução)

Nota da assessoria de Flordelis:
A família Flordelis, com dor, comunica o falecimento repentino do Pastor Anderson do Carmo, um servo de Jesus Cristo.
A Deputada Flordelis, muito abalada, ainda não tem como se pronunciar. Neste momento, apertamos as mãos de Deus e imploramos o conforto Dele!
O Pastor Anderson estava cumprindo um ministério maravilhoso de redenção de almas, em uma luta diária para evitar que o ódio continue a ceifar vidas por falta de Deus no coração dos seres humanos.
Hoje é um domingo muito triste, muito triste em nossas vidas.
PEDIMOS ÀS ORAÇÕES DE TODOS!
Fonte: Gospel Prime

sexta-feira, 14 de junho de 2019

Governado pela lei islâmica, Irã continuará executando homossexuais, diz ministro

Governado pela lei islâmica, Irã continuará executando homossexuais, diz ministro


A execução pública de homossexuais no Irã, país que vive uma teocracia baseada no islamismo, continuará ocorrendo, afirmou o ministro das Relações Exteriores do país.
Mohammad Javad Zarif reiterou a lei que determina a execução de homossexuais no país, e aproveitou para enfatizar sua oposição Israel e aos Estados Unidos após ser questionado pelo jornalista Paul Ronzheimer, da revista Bild.
De acordo com uma publicação de Ronzheimer no Twitter, a resposta de Zarif foi: “Nossa sociedade tem princípios morais e de acordo com esses princípios. Esses são princípios morais relativos ao comportamento das pessoas em geral. E isso porque a lei é mantida e você obedece às leis”.
Richard Grenell, embaixador dos EUA na Alemanha, declarou ao Jerusalem Post na última segunda-feira, 10 de junho, que o Irã age de forma bárbara: “A Declaração de Direitos Humanos da ONU deixa claro que essas respostas do regime iraniano estão violando os princípios básicos da ONU. Os membros da ONU devem concordar com a Declaração para serem membros. Criminalizar a homossexualidade viola a Declaração, pura e simplesmente”.
Volker Beck, um político do Partido Verde alemão e ativista LGBT, também criticou o governo iraniano: “Zarif deixa claro o que o Irã defende: o desprezo pelos direitos humanos de homossexuais, mulheres e minorias religiosas”.
Beck, que também é professor do Centro de Estudos em Ciências Religiosas (CERES) da Universidade de Ruhr, em Bochum, acrescentou que os apoiadores dos mulás sabem o que eles representam, e acrescentou que ”o enforcamento e apedrejamento de homossexuais é considerado um princípio moral pelos islamistas em Teerã”.
Recentemente, o regime clerical do Irã enforcou publicamente um homem com base em uma lei islâmica anti homossexuais. O homem não identificado foi enforcado na cidade de Kazeroon, no sudoeste do país, no dia 10 de janeiro.
De acordo com um boletim do WikiLeaks de 2008, o regime do Irã executou “entre quatro e seis mil gays e lésbicas” desde a Revolução Islâmica em 1979. Em 2016, o governo iraniano havia executado um adolescente gay – a primeira execução confirmada – de alguém condenado como jovem na República Islâmica.
Fonte: Gospel+

Caso Rhuan: a crueldade das lésbicas assassinas do menino


CRUELDADE, HORROR E SILÊNCIO DA IMPRENSA


Fonte: Os pingos nos Is