Notícias do Mundo Inteiro

Header Ads

Lésbicas esperam julgamento por estupro de menor de idade

Lésbicas esperam julgamento por estupro de menor de idade

               Criança apresentou marcas de queimadura no órgão genital

Rafael Gomes
Menor foi torturada em Pernambuco Foto: Reprodução


É fato que a morte do menino Rhuan Maycon se tornou um dos crimes mais chocantes ocorridos contra uma criança no Brasil. A frieza com que a mãe do menino o matou e esquartejou com a ajuda da companheira causou indignação na internet. Ao comentar o crime, que ocorreu no dia 31 de maio, o presidente Jair Bolsonaro defendeu a prisão perpétua para as duas mulheres de Samambaia Norte, em Brasília.
Porém, dois meses antes, outra criança foi vítima de violência por meio de duas mulheres. O caso ocorreu em março, no distrito de Paquevira, em Canhotinho, no Agreste de Pernambuco. Uma menina de quatro anos foi torturada e estuprada por um casal de lésbicas. As duas agricultoras são Zenilda da Silva, de 42 anos, e Edna Lopes da Silva, de 35. Elas criavam a menina como filha.
Menina foi queimada com isqueiro em várias partes do corpo Foto: Reprodução
Elas foram presas depois que a criança comentou o caso com a professora. De acordo com as investigações, a menina apresentou queimaduras no pescoço, no ombro e no órgão genital feitas com isqueiro. A dupla tomava conta da menor desde 2018, depois que a mãe biológica, que tem mais quatro filhos, a deixou para ser criada pelas agricultoras.
Pleno.News entrou em contato com a Delegacia da Polícia Civil de Canhotinho, que informou que as duas foram levadas para a Colônia Penal Feminina de Buíque, onde aguardam julgamento.
Na época em que o caso veio à tona, a menina foi encaminhada para o Conselho Tutelar da região. A conselheira Maria Marlene dos Santos Nascimentos, que foi uma das que acompanharam o caso, falou da atual situação da vítima.
– Ela está sendo acompanhada pela equipe do Centro de Referência Especializada de Assistência Social (CREA) e por psicólogos. Ela voltou a viver com a mãe biológica e está tranquila e seguindo sua rotina. A mãe também está bem, diante do que a filha passou. As duas agressoras eram pessoas próximas à família – explicou Maria Marlene.
COMO AJUDAR A ACABAR COM A VIOLÊNCIA E ESTUPRO DE CRIANÇAS
Segundo o artigo 13 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), em caso de suspeita ou confirmação de violações de direitos humanos de crianças e adolescentes, de qualquer tipo, incluindo a violência sexual (abuso ou exploração sexual), o caso deve ser sempre denunciado.

No Brasil, o principal canal de denúncias de crimes sexuais cometidos contra crianças e adolescentes é o Disque Denúncia Nacional, ou Disque 100, coordenado pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.
Ligue 100 (ligação gratuita).
Fonte: Pleno News

Postar um comentário

0 Comentários