Pular para o conteúdo principal

A ordem ou o caos: A sociedade brasileira precisa fazer uma escolha

Sem ordem e sem respeito às leis não existe progresso.

Por William Douglas

Bandeira do Brasil. (Foto: Vladimir Platonov / ABr)

É apavorante quando um professor universitário defende publicamente a morte de pessoas que pensam diferente.

É apavorante quando os cidadãos perdem qualquer pejo de defender publicamente a violência e a morte de adversários políticos.
É apavorante quando alguém, ainda mais uma mulher, sugere um estupro.
É apavorante quando qualquer pessoa, ainda mais uma advogada, sugere a prática de crimes.
É apavorante quando alguém que fez Direito quer “punir” outra pessoa sem devido processo legal, ampla defesa e individualização da eventual pena. Não se ataca a família de ninguém.
É apavorante quando um cidadão ataca o Judiciário. Vale registrar que no caso da prisão na segunda instância, embora o Brasil seja o único no mundo a caminhar diferente, ao menos no país há pessoas respeitáveis pensando de forma diferente.
Alerto que não concordo com a decisão. Entendo que a presunção de inocência não impede a prisão durante o processo (flagrante, temporária, preventiva etc.). O cidadão pode discordar de uma decisão, ou não gostar de um ministro (ou de todos) ou de qualquer agente público, de qualquer dos três Poderes. Isso pode.
Porém, dentro do Estado de Direito há coisas que não podem ser sequer sugeridas.
Temos que acabar com a cultura da violência. Hoje ela atinge seus desafetos, amanhã sua família. Isso é barbárie.
A discordância deve ser veiculada na forma da lei, respeitando-se a ordem pública e os ritos e procedimentos previstos na Constituição Federal e na legislação. Isso é o que nos civiliza e nos protege do caos.
Qualquer pessoa que sugira ou incentive a prática de crimes está praticando crime. A liberdade de expressão não agasalha a apologia de crime ou de violência.

Quem sugere a prática de crimes não só prejudica o país como também está sujeito à prisão para a garantia da ordem pública (art. 312 do CPP). Vamos estabelecer a ordem. Vamos combater o que quisermos, mas nos mantendo dentro da legalidade. Ninguém pode defender seus direitos ou interesses caminhando à margem da lei.
É a lei que nos protege. A lei não pode ser respeitada apenas quando simpatizamos com ela.
O país é democrático e há décadas os legisladores são eleitos pelo povo. Então, precisamos aprender a respeitar as regras gerais que atingem, obrigam e protegem a todos.
Sem ordem e sem respeito às leis não existe progresso.
Fonte: Gospel Prime

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mais um que apoia o Partido das Trevas: Pastor Daniel Elias da Assembleia de Deus vira garoto propaganda do PT para atrair evangélicos

O pastor é uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas evangélicas Pastor Daniel Elias (Reprodução) A nova estratégia do PT (Partido dos Trabalhadores), para ter um melhor desempenho nas eleições municipais de 2020, é a aproximação dos evangélicos. A pedido do ex-presidente Lula, o partido está criando núcleos evangélicos nos estados para tentar conquistar a classe evangélica que já provou que pode fazer a diferença nas urnas. Uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas é o pastor da Assembleia de Deus de Duque de Caxias RJ, Daniel Elias. O líder religioso é militante do PT e discípulo fiel de Lula. Há um ano ele virou notícia em todo país quando viajou até Curitiba, no Paraná, para realizar um ato profético em favor do ex-presidente que estava preso na carceragem da Polícia Federal (PF). Daniel Elias, de 38 anos, ungiu o cadeado do portão da sede da PF. O pastor admite que a articulação enfrenta dificuldades.  “O grupo ligado à direita chegou primeiro

Quem são os 7 pastores mais respeitados do Mundo; Saiba agora

Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem. Outra pergunta é: Ele é tão bom, se é! Por que é? Ou é escolhido bom apenas pela sua fama? Muitas vezes o bom é aquele que contraria as multidões, mas o bom pode também estar entre as multidões, “Não devemos esquecer que por se tratar da Palavra de Deus, o discurso do pregador deve ser embasado nas Escrituras sempre” então fica ai minha dica e junto também uma de suas mensagem. No VÍDEO abaixo você vai conferir os nomes dos pastores que o Brasil inteiro conhece. São pastores de grandes ministérios que contem números altos de fieis sobre a presença de Deus. Hoje nas

IRMÃ DULCE, SANTA? SERÁ? IRMÃ DULCE E O SEU LADO OBSCURO

IRMÃ DULCE E O SEU LADO OBSCURO Retrato de Irmã Dulce Deixar de reconhecer que a D. Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, filha de Augusto Lopes Pontes e de Dulce Maria de Souza Brito, conhecida mundialmente como Irmã Dulce, fez um trabalho filantrópico, sacrificial, e altruísta, é ser um ignorante, tendencioso e ingrato. Nascida em 26 de maio de 1914, na capital baiana, e falecida no dia 13 de março de 1992,  foi uma religiosa católica brasileira que dedicou a sua vida a ajudar os doentes e os mais necessitados. Foi beatificada pelo Papa Bento XVI, no dia 10 de dezembro de 2010, passando a ser reconhecida com o título de "Bem-aventurada Dulce dos Pobres". Será canonizada pelo Papa Francisco em uma celebração no Vaticano no dia 13 de outubro de 2019. Por ser muito jovem ela foi recusada pelo Convento de Santa Clara. Formou-se em professora primaria em 08 de fevereiro de 1932 e um ano após entrou para a Congregação Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição de D