Pular para o conteúdo principal

Irã afirma ter o direito de executar homossexuais em público por "valores morais"

O ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, tratou com naturalidade a lei que prevê o enforcamento de homossexuais.


Pessoas encenam um enforcamento, enquanto protestam do lado de fora do Conselho Alemão de Relações Exteriores, em Berlim. (Foto: THOMAS PETER / Reuters)
Pessoas encenam um enforcamento, enquanto protestam do lado de fora do Conselho Alemão de Relações Exteriores, em Berlim. (Foto: THOMAS PETER / Reuters)

Em resposta a perguntas feitas em Teerã, capital iraniana, por um repórter do jornal alemão Bild, o ministro das Relações Exteriores da República Islâmica do Irã, Mohammad Javad Zarif, reiterou a justificativa do país em manter uma lei que prevê a execução de homossexuais e também reforçou sua oposição a Israel e aos EUA.
O repórter da Bild, chamado Paul Ronzheimer, escreveu no Twitter que fez duas perguntas a Zarif: "1. Qual seu posicionamento com relação ao direito de Israel existir? 2. Como você lida com as execuções de gays?"
Ronzheimer escreveu que Zarif respondeu: "O problema são as políticas agressivas de Israel e dos EUA".
Sobre a execução de gays do Irã, Zarif disse que: "Nossa sociedade tem princípios morais e vive de acordo com esses princípios. Esses são princípios morais com relação ao comportamento das pessoas em geral. E por isso que a lei é mantida e você deve obedece-las".
Richard Grenell, o embaixador dos EUA na Alemanha, disse ao Jerusalem Post na segunda-feira: “A Declaração de Direitos Humanos da ONU deixa claro que essas respostas do regime iraniano estão violando os princípios básicos da ONU. Os membros da ONU devem concordar com a Declaração para serem membros. Criminalizar a homossexualidade viola a Declaração, pura e simplesmente”.
Volker Beck, um político do partido verde alemão e ativista LGBT, repudiou a afirmação do ministro iraniano.
"Zarif deixa claro o que o Irã defende: o desprezo pelos direitos humanos de homossexuais, mulheres e minorias religiosas". Beck, que também é professor do Centro de Estudos em Ciências Religiosas (CERES) da Universidade de Ruhr, em Bochum, acrescentou que quem apoia os mulás (doutores da lei islâmica) sabe o que eles representam. Ele disse que "o enforcamento e apedrejamento de homossexuais é considerado um princípio moral pelos estudiosos e adeptos do islamismo em Teerã".
O Jerusalem Post informou em janeiro que o regime clerical do Irã enforcou publicamente um homem com base em uma lei islâmica anti-homossexual. O homem não identificado foi enforcado no dia 10 de janeiro, na cidade de Kazeroon, no sudoeste do país.

Contextualização
De acordo com o envio de um WikiLeaks britânico em 2008, o regime dos mulás do Irã executou “entre 4.000 e 6.000 gays e lésbicas” desde a Revolução Islâmica de 1979.
Em 2016, o Jerusalem Post também informou que o regime iraniano havia executado um adolescente gay naquele ano - a primeira execução confirmada de alguém condenado como jovem na República Islâmica.
Hassan Afshar, de 19 anos, foi enforcado na Prisão de Arak, na Província de Markazi, no Irã, em 18 de julho de 2016, depois de ter sido condenado por “sexo anal forçado entre homens e homens” no início de 2015.
Em 2011, o regime iraniano executou três homens iranianos depois destes serem considerados culpados de acusações relacionadas à homossexualidade.
O enforcamento público do regime iraniano em janeiro ganhou espaço no anúncio feito pelo governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em fevereiro de que estaria lançando uma campanha para acabar com a criminalização da homossexualidade em todo o mundo.
Grenell - oficial do governo americano e homossexual assumido - disse ao Post em fevereiro que “71 países criminalizam a homossexualidade e oito vão matar pessoas apenas por serem gays. A administração Trump está lançando um novo impulso com nossos aliados europeus para acabar com esse ultraje dos direitos humanos”.
“No Irã, onde crianças de até nove anos podem ser sentenciadas à morte, adolescentes gays são enforcados publicamente para aterrorizar e intimidar outras pessoas. As terríveis ações do Irã estão equiparadas à brutalidade e selvageria demonstradas regularmente pelo Estado Islâmico”, acrescentou.

Fonte: Guiame.com


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POLÍTICA SOCIAL Vergonha para os baianos: dos 100 piores municípios para se viver em todo país, quase metade desses estão no estado da Bahia

Foto: Jucuruçu, no extremo sul da Bahia, é citado na lista Quatro em cada dez cidades brasileiras consideradas as piores para se viver ficam na Bahia. A informação é baseada em um relatório divulgado anualmente pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), que considera um índice similar ao IDH-M (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal, que avalia longevidade, educação e renda da população) da Organização das Nações Unidas. O Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM) acompanha o desenvolvimento socioeconômico de todos os mais de 5 mil municípios brasileiros também em três áreas de atuação: emprego e renda, educação e saúde. O índice varia de 0 (mínimo) a 1 ponto (máximo) e quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento da localidade. De acordo com os dados da Firjan, 55,2% do total das cidades possuem desenvolvimento moderado, e 1,9% (106 cidades) estão com baixo desenvolvimento, ou seja, abaixo de 0,4. Apenas 332 cidades (6% do total) possuem alto d

Mais um que apoia o Partido das Trevas: Pastor Daniel Elias da Assembleia de Deus vira garoto propaganda do PT para atrair evangélicos

O pastor é uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas evangélicas Pastor Daniel Elias (Reprodução) A nova estratégia do PT (Partido dos Trabalhadores), para ter um melhor desempenho nas eleições municipais de 2020, é a aproximação dos evangélicos. A pedido do ex-presidente Lula, o partido está criando núcleos evangélicos nos estados para tentar conquistar a classe evangélica que já provou que pode fazer a diferença nas urnas. Uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas é o pastor da Assembleia de Deus de Duque de Caxias RJ, Daniel Elias. O líder religioso é militante do PT e discípulo fiel de Lula. Há um ano ele virou notícia em todo país quando viajou até Curitiba, no Paraná, para realizar um ato profético em favor do ex-presidente que estava preso na carceragem da Polícia Federal (PF). Daniel Elias, de 38 anos, ungiu o cadeado do portão da sede da PF. O pastor admite que a articulação enfrenta dificuldades.  “O grupo ligado à direita chegou primeiro

Quem são os 7 pastores mais respeitados do Mundo; Saiba agora

Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem. Outra pergunta é: Ele é tão bom, se é! Por que é? Ou é escolhido bom apenas pela sua fama? Muitas vezes o bom é aquele que contraria as multidões, mas o bom pode também estar entre as multidões, “Não devemos esquecer que por se tratar da Palavra de Deus, o discurso do pregador deve ser embasado nas Escrituras sempre” então fica ai minha dica e junto também uma de suas mensagem. No VÍDEO abaixo você vai conferir os nomes dos pastores que o Brasil inteiro conhece. São pastores de grandes ministérios que contem números altos de fieis sobre a presença de Deus. Hoje nas