Pular para o conteúdo principal

Hoje recebo o maior desafio da minha vida, diz Teich em posse


  • Giuliana Saringer, do R7
Teich foi anunciado na quinta-feira (16)
Teich foi anunciado na quinta-feira (16)/ Divulgação/ Ministério da Saúde
O médico oncologista Nelson Luiz Sperle Teich tomou posse na manhã desta sexta-feira (17) como novo ministro da Saúde, substituindo Luiz Henrique Mandetta
"Hoje eu recebo certamente o maior desafio da minha vida profissional: ter a oportunidade de compor o Governo Federal, em um momento tão difícil pro Brasil e pro mundo", afirmou Teich no discurso de posse.

Teich foi anunciado como novo chefe da pasta pelo presidente Jair Bolsonaro na tarde de quinta-feira (16), depois da demissão de Mandetta. 
No discurso de posse, o ministro defendeu a importância da informação para combater o novo coronavírus e a união entre os ministérios para conseguir enfrentar o problema considerando todos os aspectos da sociedade brasileira. 

"O foco que a gente tem aqui é nas pessoas. Por mais que se fala em saúde e economia, não importa o que se falem, o final é sempre gente", disse.
Segundo ele, a situação do país "parece filme". "Essa é a realidade que estamos vivendo hoje e isso leva ao medo", afirmou.


Teich também disse que a pasta deve se atentar a outras doenças comuns no Brasil. "Essa atenção na covid, mas que toda a saúde tem que estar atenta, como dengue e influenza, isso vai entrar e complicar o sistema. Temos que tomar cuidado com isso. Temos que ver os indicadores sociais. Se tivermos mais desemprego, com menos gente com plano de saúde, vai impactar o SUS".

O ministro agradeceu ao presidente pela confiança, à família, por apoiá-lo neste momento, e também à gestão de Mandetta pelo trabalho feito até então no ministério. 
Dentre os participantes da posse, estavam Bolsonaro, Mandetta, a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, o vice-presidente Hamilton Mourão e o ministro da Casa Civil, Braga Netto.

No início da posse, Mandetta afirmou que "o século XXI vai ser dividido em antes e depois do coronavírus". Segundo o ex-ministro, "a economia será o grande desafio" após o fim da doença. Mandetta se colocou à disposição do governo federal e do Brasil. 
Sobre Teich
Teich é carioca e formado em medicina pela UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro). Ele chegou a ser cotado para a pasta da Saúde antes da posse de Bolsonaro na Presidência.

O oncologista foi consultor de saúde durante a campanha eleitoral de Bolsonaro e assessorou o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Denizar Vianna, de setembro de 2019 a janeiro de 2020.
Teich fundou o Grupo COI (Clínicas Oncológicas Integradas) em 1990. Em 2005, o grupo foi adquirido pela UHG/Amil.

Também fundou e é presidente do Instituto COI de Educação e Pesquisa, uma organização sem fins lucrativos criada em 2009 para fazer pesquisas clínicas e trabalhar com programas de formação nas diversas áreas de tratamento do câncer, como hematologia, oncologia, radioterapia, física da radiação, enfermagem e farmácia.
Teich coordena a parceria com o programa de consultoria MD Anderson, criada com o objetivo ser um centro integral de câncer no Rio de Janeiro.

O médico tem mestrado em economia da saúde pela Universidade de York, MBA em saúde pelo Instituto de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração da Universidade Federal do Rio de Janeiro (COPPEAD) e em gestão e empreendedorismo pela Harvard Business School.

Assista à posse: 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POLÍTICA SOCIAL Vergonha para os baianos: dos 100 piores municípios para se viver em todo país, quase metade desses estão no estado da Bahia

Foto: Jucuruçu, no extremo sul da Bahia, é citado na lista Quatro em cada dez cidades brasileiras consideradas as piores para se viver ficam na Bahia. A informação é baseada em um relatório divulgado anualmente pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), que considera um índice similar ao IDH-M (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal, que avalia longevidade, educação e renda da população) da Organização das Nações Unidas. O Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM) acompanha o desenvolvimento socioeconômico de todos os mais de 5 mil municípios brasileiros também em três áreas de atuação: emprego e renda, educação e saúde. O índice varia de 0 (mínimo) a 1 ponto (máximo) e quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento da localidade. De acordo com os dados da Firjan, 55,2% do total das cidades possuem desenvolvimento moderado, e 1,9% (106 cidades) estão com baixo desenvolvimento, ou seja, abaixo de 0,4. Apenas 332 cidades (6% do total) possuem alto d

Mais um que apoia o Partido das Trevas: Pastor Daniel Elias da Assembleia de Deus vira garoto propaganda do PT para atrair evangélicos

O pastor é uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas evangélicas Pastor Daniel Elias (Reprodução) A nova estratégia do PT (Partido dos Trabalhadores), para ter um melhor desempenho nas eleições municipais de 2020, é a aproximação dos evangélicos. A pedido do ex-presidente Lula, o partido está criando núcleos evangélicos nos estados para tentar conquistar a classe evangélica que já provou que pode fazer a diferença nas urnas. Uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas é o pastor da Assembleia de Deus de Duque de Caxias RJ, Daniel Elias. O líder religioso é militante do PT e discípulo fiel de Lula. Há um ano ele virou notícia em todo país quando viajou até Curitiba, no Paraná, para realizar um ato profético em favor do ex-presidente que estava preso na carceragem da Polícia Federal (PF). Daniel Elias, de 38 anos, ungiu o cadeado do portão da sede da PF. O pastor admite que a articulação enfrenta dificuldades.  “O grupo ligado à direita chegou primeiro

Quem são os 7 pastores mais respeitados do Mundo; Saiba agora

Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem. Outra pergunta é: Ele é tão bom, se é! Por que é? Ou é escolhido bom apenas pela sua fama? Muitas vezes o bom é aquele que contraria as multidões, mas o bom pode também estar entre as multidões, “Não devemos esquecer que por se tratar da Palavra de Deus, o discurso do pregador deve ser embasado nas Escrituras sempre” então fica ai minha dica e junto também uma de suas mensagem. No VÍDEO abaixo você vai conferir os nomes dos pastores que o Brasil inteiro conhece. São pastores de grandes ministérios que contem números altos de fieis sobre a presença de Deus. Hoje nas