Pular para o conteúdo principal

Análise: Será que já atingimos o pico da estupidez humana?

Decisões de saúde mundial baseadas em fraude, mentiras repetidas até parecerem verdades e seres racionais permitindo uma manipulação inédita


Sair de casa para protestar pode? E a pandemia?

Sair de casa para protestar pode? E a pandemia? Diego Vara/Reuters 



Na era da comunicação, o trio desinformação, má informação e manipulação é o que mais tem circulado, inclusive por lugares antes inimagináveis. É de uma perplexidade enorme ver como a grande imprensa reagiu diante de questões que chegam a ser absurdas, como o fato de duas das mais renomadas revistas médicas do mundo – The Lancet e New England Journal of Medicine – terem publicado um estudo falso contra o uso da hidroxicloroquina no combate à covid-19.

Os dados falsos foram repercutidos à exaustão em todo o mundo, tendo inclusive, servido de base para que o diretor geral da OMS (Organização Mundial de Saúde), Tedros Adhanom Ghebreyesus, suspendesse os estudos sobre o medicamento. Ainda não há um consenso sobre a eficácia da hidroxicloroquina contra o coronavírus, porém, publicar e tomar decisões apoiadas em informações que nem ao menos foram checadas é de uma irresponsabilidade ímpar.

Por outro lado, é interessante ver que os ricos e bem-informados não abrem mão da hidroxicloroquina quando o assunto é a sua própria saúde. Basta lembrar do caso do infectologista David Uip, estrategicamente afastado da função de coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo depois de ter vazado que “o medicamento do Bolsonaro” fez parte de seu tratamento pessoal contra a covid-19.
Enquanto isso, a população foi levada a crer que sair de casa significava caminhar para a morte. A não ser, claro, que essa saída fosse para se aglomerar no mercado, na farmácia ou nas feiras livres. Se bem que essa “verdade absoluta” – amplamente divulgada por mais de 75 dias e reforçada pela hashtag #fiqueemcasa – repentinamente saiu de cena dando espaço a outra ordem: vá para as ruas!

Curiosamente agora não só podemos como devemos sair de casa para participar das manifestações – devidamente aglomerados, sem necessidade de máscara e álcool gel – contra o fascismo, o racismo e as fake news. Mais uma das muitas hipocrisias do nosso tempo, pois se os tais “antifas” usassem a cabeça por 15 segundos e consultassem o Google em seus iPhones comprados na Amazon, saberiam que a definição de fascismo é “movimento político representado por um governo autocrático, centralizado na figura de um ditador”.

Onde está o tal ditador? Seria aquele que mandou invadir fábrica privada para confiscar máscaras? Ah, não... esse foi o João Dória, governador de São Paulo, muito “preocupado” com a saúde dos paulistanos. Tanto que está gastando R$ 18 milhões por mês em um hospital de campanha cheio de leitos vazios, segundo denúncias de um grupo de parlamentares. Ah, então deve ser aquele que colocou a polícia para “quebrar” qualquer um que se atravesse a desobedecê-lo saindo de casa. Não, também não... esse foi o Wilson Witzel, governador do Rio, em sua luta ferrenha “pela vida” dos cariocas. Ele está tão engajado que ainda não inaugurou seus hospitais de campanha, afinal, não dá para atender enquanto não houver a certeza de que serão os melhores do mundo, não é mesmo? Não há dúvida de que, numa próxima pandemia, as unidades de Witzel servirão de modelo para todas as nações.

E o que dizer de um movimento supostamente em prol da democracia que tenta a todo custo derrubar um governo eleito democraticamente? É como bem definiu o jornalista Luís Ernesto Lacombe em seu Twitter: “Fascistas contra o fascismo. Racistas contra o racismo. Cientistas contra a ciência. Produtor de ‘fake news’ contra as ‘fake news’... A lista de hipócritas, mentirosos e dissimuladores, egoístas e oportunistas é enorme.”
Autora
Patricia Lages é autora de 5 best-sellers sobre finanças pessoais e empreendedorismo e do blog www.bolsablindada.com.br. É palestrante internacional e comentarista do JR Dinheiro, no Jornal da Record.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mais um que apoia o Partido das Trevas: Pastor Daniel Elias da Assembleia de Deus vira garoto propaganda do PT para atrair evangélicos

O pastor é uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas evangélicas Pastor Daniel Elias (Reprodução) A nova estratégia do PT (Partido dos Trabalhadores), para ter um melhor desempenho nas eleições municipais de 2020, é a aproximação dos evangélicos. A pedido do ex-presidente Lula, o partido está criando núcleos evangélicos nos estados para tentar conquistar a classe evangélica que já provou que pode fazer a diferença nas urnas. Uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas é o pastor da Assembleia de Deus de Duque de Caxias RJ, Daniel Elias. O líder religioso é militante do PT e discípulo fiel de Lula. Há um ano ele virou notícia em todo país quando viajou até Curitiba, no Paraná, para realizar um ato profético em favor do ex-presidente que estava preso na carceragem da Polícia Federal (PF). Daniel Elias, de 38 anos, ungiu o cadeado do portão da sede da PF. O pastor admite que a articulação enfrenta dificuldades.  “O grupo ligado à direita chegou primeiro

Quem são os 7 pastores mais respeitados do Mundo; Saiba agora

Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem. Outra pergunta é: Ele é tão bom, se é! Por que é? Ou é escolhido bom apenas pela sua fama? Muitas vezes o bom é aquele que contraria as multidões, mas o bom pode também estar entre as multidões, “Não devemos esquecer que por se tratar da Palavra de Deus, o discurso do pregador deve ser embasado nas Escrituras sempre” então fica ai minha dica e junto também uma de suas mensagem. No VÍDEO abaixo você vai conferir os nomes dos pastores que o Brasil inteiro conhece. São pastores de grandes ministérios que contem números altos de fieis sobre a presença de Deus. Hoje nas

IRMÃ DULCE, SANTA? SERÁ? IRMÃ DULCE E O SEU LADO OBSCURO

IRMÃ DULCE E O SEU LADO OBSCURO Retrato de Irmã Dulce Deixar de reconhecer que a D. Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, filha de Augusto Lopes Pontes e de Dulce Maria de Souza Brito, conhecida mundialmente como Irmã Dulce, fez um trabalho filantrópico, sacrificial, e altruísta, é ser um ignorante, tendencioso e ingrato. Nascida em 26 de maio de 1914, na capital baiana, e falecida no dia 13 de março de 1992,  foi uma religiosa católica brasileira que dedicou a sua vida a ajudar os doentes e os mais necessitados. Foi beatificada pelo Papa Bento XVI, no dia 10 de dezembro de 2010, passando a ser reconhecida com o título de "Bem-aventurada Dulce dos Pobres". Será canonizada pelo Papa Francisco em uma celebração no Vaticano no dia 13 de outubro de 2019. Por ser muito jovem ela foi recusada pelo Convento de Santa Clara. Formou-se em professora primaria em 08 de fevereiro de 1932 e um ano após entrou para a Congregação Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição de D