Pular para o conteúdo principal

Disney confirma personagem bissexual

Disney confirma seu primeiro personagem principal bissexual em desenho animado que usa demônios para ensinar meninas a serem bruxas e agora… lésbicas também


Não é somente a bruxaria que é apresentada no Disney Channel. A Disney confirmou um personagem principal bissexual na série “The Owl House” (A Casa da Coruja).
Luz não é certamente o primeiro personagem da Disney envolvida em bruxaria e ela não é o primeiro personagem LGBTQ+ da Disney. A Pixar apresentou um personagem gay principal em um curta-metragem no Disney Plus, mas Luz é o primeiro personagem bissexual a estrear na Disney em uma série de televisão.A série “The Owl House” segue a “aventura” da dominicano-americana Luz Noceda, de 14 anos, para se tornar uma bruxa.
A Disney escolheu estrategicamente Luz como personagem proveniente da República Dominicana (vizinha do Haiti), uma nação cheia de negros e vodu (bruxaria). E no vodu, a homossexualidade, a bissexualidade, a bestialidade e até a necrofilia acontecem sob o feitiço de demônios. E na feitiçaria, a homossexualidade é normalizada por demônios que gostam dela e levam suas vítimas a ela.
A estratégia da Disney é apelar para a “diversidade” por meio da homossexualidade e da raça. Assim, os pais, com razão preocupados com um desenho animado incentivando a bruxaria e a homossexualidade para crianças por meio de um personagem negro, seriam acusados de “racismo” se tentassem expressar suas preocupações.
Em Hollywood existe uma negrolatria e tudo o que é apresentado por um personagem negro torna-se “sagrado.” Então, se você critica o vodu e outras feitiçarias similares praticadas por negros, você é rotulado de “racista” intolerante com as raízes culturais e religiosas dos negros.
Em meu artigo “Viadagens teológicas: ambiente da teologia da libertação e TMI produzindo teologia gay no Brasil,” explico como religiões afro-brasileiras semelhantes ao vodu adotam espíritos (que na Bíblia são identificados como demônios) que induzem desejos e prostituição homossexual nas pessoas.
A ideia de colocar um personagem homossexual em um desenho animado da Disney veio de Dana Terrace, criadora de “The Owl House,” que disse:
“Fui muito aberta sobre a minha intenção de colocar crianças queer [homossexuais] no elenco principal. Sou péssima mentirosa, então metê-las escondido teria sido difícil.”
Dana se identifica como bissexual. Ela queria usar o desenho para apresentar um personagem bissexual e realmente incentivou a Disney a realizar seu desejo. Ela é branca, mas entendeu que ao usar um personagem negro para fazer propaganda da homossexualidade ela estaria protegendo sua propaganda dos críticos conservadores que correm o risco de serem rotulados de “racistas” se se atreverem a criticá-la.
Sua luta para usar seu desenho animado como uma plataforma para sua propaganda gay prova um argumento frequentemente negado pelos homossexualistas: os ativistas gays usam todos os meios possíveis para fazer propaganda da homossexualidade.
Infelizmente, os EUA não têm lei para proteger as crianças de tal propaganda e doutrinação. Aliás, direitos homossexuais estão acima dos direitos das crianças nos EUA, tornando Hollywood e as embaixadas dos EUA propagandistas da homossexualidade.
Em 2019, o governo Trump concedeu um prêmio de alto nível a um feiticeiro negro esquerdista brasileiro cuja religião abraça a homossexualidade. Se o direitista Trump está premiando essas coisas, quem pode culpar a Disney por fazer propaganda dessas coisas?
O desenho animado “The Owl House” (A Casa da Coruja), do Disney Channel, trata de uma adolescente que se vê presa no “Reino dos Demônios” e luta ao lado de uma bruxa rebelde contra forças opostas a essa bruxa.
O destaque do desenho é o sonho de Luz de um dia se tornar bruxa.
Luz sonhando em virar bruxa é uma incompatibilidade total.
Embora o nome “Luz” pareça inocente, devido ao contexto de trevas não dá para evitar a memória de outro nome de aparência igualmente inocente, que significa “Portador de Luz,” mais conhecido como Lúcifer, ou Satanás. Quando aproveitadores das trevas usam luz ou outros termos aparentemente inócuos, é sempre de desconfiar. O pacote sempre inclui mais coisas.
A Casa da Coruja é um desenho animado preocupante, pois retrata as reais e sobrenaturais forças do mal como boas — uma violação direta da Palavra de Deus, que diz: “Ai dos que chamam ao mal bem e ao bem, mal, que fazem das trevas luz e da luz, trevas, do amargo, doce e do doce, amargo.” (Isaías 5:20 NVI)
Esse desenho tenta intencionalmente expor o público infanto-juvenil do Disney Channel ao mundo das trevas e homosexualidade.
“Quando a [Criadora] Dana [Terrace] se aproximou de mim, ela disse que ‘estamos tentando tornar esse reino demônio uma parte da Disney,’ o que é algo que eu achava que não aconteceria,” disse o artista Ricky Cometa. “Nós realmente queríamos que esse reino demoníaco se sentisse à vontade, e apenas tivemos de descobrir como fazer isso.”
Pelo fato de que A Casa da Coruja apresenta a homossexualidade e entidades sobrenaturais más como boas, as crianças não têm a capacidade de compreender que isso está errado. Aliás, estudos sobre a influência de programas dos meios de comunicação comprovam que crianças que assistem a personagens cometendo pecados, como mentir ou roubar, na verdade não reconhecerão esses atos como ruins, a menos que o personagem seja imediatamente repreendido.
Se a bruxaria e a homossexualidade não forem rejeitadas e mostradas como males, as crianças não entenderão que a bruxaria e a homossexualidade são males. Dessa forma, elas serão doutrinadas a abraçar a bruxaria, a homossexualidade e tudo o mais que ideólogos esquerdistas promoverem sob a capa da negrolatria.
Com informações da CNN e Charisma News.
Versão em inglês deste artigo: Disney Confirms Its First Bisexual Lead Character in Cartoon Using Demons to Teach Girls How to Be Witches and Now… Lesbians Too
Fonte: www.juliosevero.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quem são os 7 pastores mais respeitados do Mundo; Saiba agora

Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem. Outra pergunta é: Ele é tão bom, se é! Por que é? Ou é escolhido bom apenas pela sua fama? Muitas vezes o bom é aquele que contraria as multidões, mas o bom pode também estar entre as multidões, “Não devemos esquecer que por se tratar da Palavra de Deus, o discurso do pregador deve ser embasado nas Escrituras sempre” então fica ai minha dica e junto também uma de suas mensagem. No VÍDEO abaixo você vai conferir os nomes dos pastores que o Brasil inteiro conhece. São pastores de grandes ministérios que contem números altos de fieis sobre a presença de Deus. Hoje nas

Mais um que apoia o Partido das Trevas: Pastor Daniel Elias da Assembleia de Deus vira garoto propaganda do PT para atrair evangélicos

O pastor é uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas evangélicas Pastor Daniel Elias (Reprodução) A nova estratégia do PT (Partido dos Trabalhadores), para ter um melhor desempenho nas eleições municipais de 2020, é a aproximação dos evangélicos. A pedido do ex-presidente Lula, o partido está criando núcleos evangélicos nos estados para tentar conquistar a classe evangélica que já provou que pode fazer a diferença nas urnas. Uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas é o pastor da Assembleia de Deus de Duque de Caxias RJ, Daniel Elias. O líder religioso é militante do PT e discípulo fiel de Lula. Há um ano ele virou notícia em todo país quando viajou até Curitiba, no Paraná, para realizar um ato profético em favor do ex-presidente que estava preso na carceragem da Polícia Federal (PF). Daniel Elias, de 38 anos, ungiu o cadeado do portão da sede da PF. O pastor admite que a articulação enfrenta dificuldades.  “O grupo ligado à direita chegou primeiro

IRMÃ DULCE, SANTA? SERÁ? IRMÃ DULCE E O SEU LADO OBSCURO

IRMÃ DULCE E O SEU LADO OBSCURO Retrato de Irmã Dulce Deixar de reconhecer que a D. Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, filha de Augusto Lopes Pontes e de Dulce Maria de Souza Brito, conhecida mundialmente como Irmã Dulce, fez um trabalho filantrópico, sacrificial, e altruísta, é ser um ignorante, tendencioso e ingrato. Nascida em 26 de maio de 1914, na capital baiana, e falecida no dia 13 de março de 1992,  foi uma religiosa católica brasileira que dedicou a sua vida a ajudar os doentes e os mais necessitados. Foi beatificada pelo Papa Bento XVI, no dia 10 de dezembro de 2010, passando a ser reconhecida com o título de "Bem-aventurada Dulce dos Pobres". Será canonizada pelo Papa Francisco em uma celebração no Vaticano no dia 13 de outubro de 2019. Por ser muito jovem ela foi recusada pelo Convento de Santa Clara. Formou-se em professora primaria em 08 de fevereiro de 1932 e um ano após entrou para a Congregação Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição de D