Pular para o conteúdo principal

Impedir cultos pode custar caro a prefeitos nas próximas eleições, diz cientista político

Loterias, supermercados, farmácias, metrôs abertos. Só pega o corona vírus nos templos. 
As próximas eleições podem ser marcadas por uma resposta de evangélicos e seguidores de outras religiões a prefeitos que vêm dificultando a reabertura de templos. Um cientista político acredita que as urnas poderão evidenciar aos candidatos como o comportamento ao longo da pandemia foi percebido pela população.
A suspensão dos cultos presenciais durante os primeiros meses da pandemia do novo coronavírus foi compreendida pelos fiéis e líderes evangélicos como uma contribuição necessária, mas agora, diante do processo de retomada das atividades econômicas, alguns prefeitos ainda resistem a liberar a reabertura dos templos.
Jornal da Record ouviu o cientista político Pedro Costa, sobre o tema: “Nessas eleições, 2020, o recado vai ser dado nas urnas. Os prefeitos que se colocam contra à reabertura desses templos, e que eventualmente se colocaram a favor à reabertura de outros espaços, análogos, semelhantes, certamente vão ser punidos por essas comunidades de fiéis nas urnas”.
A reportagem da Record TV fez um levantamento apontando que aproximadamente 400 cidades no país ainda mantém restrições ao funcionamento dos templos, e citou, dentre outros, o exemplo do prefeito de Porto Alegre (RS), Nelson Marchezan Junior (PSDB).
Do ponto de vista social, a contribuição das igrejas e demais templos é vista pela psicanalista Valéria Amódio como essencial para a manutenção da saúde mental: “Essa experiência emocional é muito importante”, disse ela, sobre a participação nos cultos. “E nela vem, sim, a fé, porque aí a gente consegue detectar e conversar com nossos sentimentos, acolher o sentimento, seja ele ruim ou bom, e conseguir transformar”, acrescentou.
O aumento dos casos de violência doméstica durante o período de confinamento é outro aspecto abordado pela reportagem. A especialista no assunto Patrícia Alonso observa que as igrejas e demais templos têm um papel importante para evitar que a agressão se intensifique e se torne algo mais grave: “Essa pessoa não tem para onde ir, e aí ela vai para a igreja, é o único lugar que ainda está aberto para as missas, para os cultos. E nesse contexto de violência doméstica eu vejo que é o único lugar que ela ainda pode chegar, se abrir, e ter socorro”, comentou.
“Hoje, nesse período de pandemia, a igreja está fazendo colaboração de interesse público”, reiterou Patrícia Alonso.
O bispo Cristiano Guimarães, da Igreja Sara Nossa Terra, destacou a necessidade intrínseca ao ser humano de buscar o transcendente ao enfrentar adversidades: “A fé é um instrumento de crescimento, de fortalecimento na vida das pessoas. Então, no momento de crise a fé é muito importante, a fé sustenta as pessoas nesse momento”, disse ele.
A mesma visão é compartilhada pelo bispo Vladimir Romera, da Igreja Renascer em Cristo: “Principalmente agora, nessa época de pandemia, é muito satisfatório, porque nós descobrimos o sentido da nossa vida em poder ajudar o próximo”, comentou.

Fonte: GospelMais

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quem são os 7 pastores mais respeitados do Mundo; Saiba agora

Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem Não é uma tarefa tão fácil escolher entre tantos o 7 pastores mais respeitados do Brasil. Com certeza alguém poderá ficar de fora, outra questão é escolher entre as tantas linhas religiosas que existem. Outra pergunta é: Ele é tão bom, se é! Por que é? Ou é escolhido bom apenas pela sua fama? Muitas vezes o bom é aquele que contraria as multidões, mas o bom pode também estar entre as multidões, “Não devemos esquecer que por se tratar da Palavra de Deus, o discurso do pregador deve ser embasado nas Escrituras sempre” então fica ai minha dica e junto também uma de suas mensagem. No VÍDEO abaixo você vai conferir os nomes dos pastores que o Brasil inteiro conhece. São pastores de grandes ministérios que contem números altos de fieis sobre a presença de Deus. Hoje nas

Mais um que apoia o Partido das Trevas: Pastor Daniel Elias da Assembleia de Deus vira garoto propaganda do PT para atrair evangélicos

O pastor é uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas evangélicas Pastor Daniel Elias (Reprodução) A nova estratégia do PT (Partido dos Trabalhadores), para ter um melhor desempenho nas eleições municipais de 2020, é a aproximação dos evangélicos. A pedido do ex-presidente Lula, o partido está criando núcleos evangélicos nos estados para tentar conquistar a classe evangélica que já provou que pode fazer a diferença nas urnas. Uma das armas do PT para se infiltrar nas igrejas é o pastor da Assembleia de Deus de Duque de Caxias RJ, Daniel Elias. O líder religioso é militante do PT e discípulo fiel de Lula. Há um ano ele virou notícia em todo país quando viajou até Curitiba, no Paraná, para realizar um ato profético em favor do ex-presidente que estava preso na carceragem da Polícia Federal (PF). Daniel Elias, de 38 anos, ungiu o cadeado do portão da sede da PF. O pastor admite que a articulação enfrenta dificuldades.  “O grupo ligado à direita chegou primeiro

IRMÃ DULCE, SANTA? SERÁ? IRMÃ DULCE E O SEU LADO OBSCURO

IRMÃ DULCE E O SEU LADO OBSCURO Retrato de Irmã Dulce Deixar de reconhecer que a D. Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, filha de Augusto Lopes Pontes e de Dulce Maria de Souza Brito, conhecida mundialmente como Irmã Dulce, fez um trabalho filantrópico, sacrificial, e altruísta, é ser um ignorante, tendencioso e ingrato. Nascida em 26 de maio de 1914, na capital baiana, e falecida no dia 13 de março de 1992,  foi uma religiosa católica brasileira que dedicou a sua vida a ajudar os doentes e os mais necessitados. Foi beatificada pelo Papa Bento XVI, no dia 10 de dezembro de 2010, passando a ser reconhecida com o título de "Bem-aventurada Dulce dos Pobres". Será canonizada pelo Papa Francisco em uma celebração no Vaticano no dia 13 de outubro de 2019. Por ser muito jovem ela foi recusada pelo Convento de Santa Clara. Formou-se em professora primaria em 08 de fevereiro de 1932 e um ano após entrou para a Congregação Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição de D