Mostrando postagens com marcador Terrorismo Islâmico. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Terrorismo Islâmico. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 15 de setembro de 2020

O Islã não é uma religião de paz, mas assassina

 


O Islã não é uma religião de paz, mas de guerra e assassina

Sura 2:191 – Matai-os onde quer que os encontreis e expulsai-os de onde vos expulsaram, porque a perseguição é mais grave do que o homicídio. Não os combatais nas cercanias da Mesquita Sagrada, a menos que vos ataquem. Mas, se ali vos combaterem, matai-os. Tal será o castigo dos incrédulos.

Sura 4:91…capturai-os e matai-os, onde quer que os acheis, porque sobre isto vos concedemos autoridade absoluta.

Sura 40:25 – Matai os filhos varões daqueles que, com ele, crêem, e deixai com vida as suas mulheres! Porém, a conspiração dos incrédulos do improfícua.

Sura 9 – 111.Deus cobrará dos fiéis o sacrifício de seus bens e pessoas, em troca do Paraíso. Combaterão pela causa de Deus, matarão e serão mortos. É uma promessa infalível, que está registrada na Tora, no Evangelho e no Alcorão. E quem é mais fiel à sua promessa do que Deus? Regozijai-vos, pois, a troca que haveis feito com Ele. Tal é o magnífico benefício.

Sura 9:5;29 – Mas quanto os meses sagrados houverem transcorrido, matai os idólatras(564), onde quer que os acheis; capturai-os, acossai-os e espreitai-os… Combatei aqueles que não crêem em Deus e no Dia do Juízo Final, nem abstêm do que Deus e Seu Mensageiro proibiram, e nem professam a verdadeira religião…

Na Tradição Islâmica se encontra o seguinte: Fazei guerra, com sangue e extermínio, a todos que não crêem em Deus (Alá)… Quando encontrardes com os infiéis, matai-os.(Hadith)


Veja o vídeo:



Fonte: CACP





quinta-feira, 27 de agosto de 2020

PREOCUPANTE: Nigéria registra 37 cristãos assassinados no decorrer deste mês de agosto



Enquanto diversas organizações no mundo punem a violência contra os cristãos na África, já foram assassinados 37 crentes na Nigéria até ao momento.
De acordo com as informações fornecidas, no início do mês de Agosto, 33 pessoas perderam a vida em ataques contra comunidades cristãs nigerianas.
Acredita-se que esses casos aconteçeram no estado de Kaduna e foram cometidos por radicais em um período de dois dias.
Assim também, outros quatro cristãos e o seu motorista foram assassinados por militantes islâmicos em 17 de Agosto.
Segundo informações de Zephaniah Bature, um morador local onde ocorreu a tragédia, os «fulani» atacaram quando o carro saía da aldeia.
“Quatro dos cristãos dentro do carro morreram instantaneamente”, disse Bature a um portal de notícias cristão por meio de mensagens de texto.
“O motorista foi sequestrado a causa dos pastores, e entre os mortos há três homens e uma idosa”, acrescentou.
Fulani Herdsman com um rifle de assalto AK-47.
Um dia antes do acontecimento, outro grupo de radicais islâmicos atacou outra aldeia, onde muitos ficaram feridos e várias propriedades foram destruídas.
Diante disto, a comunidade internacional condena as acções destes grupos terroristas. Diferentes organizações, a maioria de cristãos, se indignam ao ver que os governantes não fazem nada a respeito.
Embora tenha sido mencionado o elevado número de mortes e danos causados por grupos como Boko Haram e Fulani, a preocupação é maior ao ver que as autoridades não reagem.
https://twitter.com/FRCdc/status/1296167809089757190?s=20
Atualmente, a Nigéria ocupa o 12º lugar na lista dos países onde a perseguição cristã é mais forte.


terça-feira, 4 de agosto de 2020

Maomé & EG White: Profetas Epiléticos





A epilepsia pode ocorrer como resultado de um distúrbio genético ou de uma lesão cerebral adquirida, como traumatismo ou acidente vascular cerebral. Durante uma convulsão, a pessoa tem comportamentos, sintomas e sensações anormais, às vezes incluindo perda de consciência. Há poucos sintomas entre os episódios de convulsão.


Fonte: CACP

terça-feira, 30 de junho de 2020

ALERTA PARA OS CRISTÃOS BRASILEIROS: O Islã quer dominar o Brasil com sua Sharia


ALERTA PARA OS CRISTÃOS BRASILEIROS

O Islã quer dominar o Brasil com sua Sharia



Sharia é um conjunto de leis islâmicas que são baseadas no Alcorão, e responsáveis por ditar as regras de comportamento dos muçulmanos.

Fonte: CACP

segunda-feira, 8 de junho de 2020

O Islã e a mutilação do clitóris infantil

Mulher muçulmana tem vida sofrida desde o seu nascimento



A circuncisão feminina é de longe o método mais brutal de preservação da virgindade da mulher muçulmana. O processo envolve a ablação do clitóris e dos lábios maiores e menores, bem como a raspagem das paredes da vagina com um objeto afiado – um caco de vidro, lâmina de barbear ou faca de cozinha (com quase zero de higienização). Em seguida, as pernas são atadas até que as paredes vaginais cicatrizem e se fechem. Isso ocorre em mais de trinta países, incluindo o Egito, a Somália e o Sudão. Embora não prescrito pelo Alcorão, esse costume de origem tribal tornou-se quase uma obrigação religiosa para aqueles muçulmanos que não podem dispensar suas meninas do trabalho fora de casa, e como tal é defendido. Seus advogados argumentam que a circuncisão das mulheres existia antes e durante a vida de Maomé, não tendo sido explicitamente proibida pelo profeta. A assim chamada infibulação (literalmente “sutura”) serve como um selo de garantia das mulheres e é realizada sob os olhares vigilantes de mães, tias, avós e outras guardiãs femininas.
A falta de confiança nas mulheres atinge seu ápice durante o teste da noite de núpcias: será que a noiva muçulmana é virgem ou não? Devido ao apartheid de gênero pelo qual as mulheres são banidas da vida pública, um homem muçulmano não dispõe de nenhum meio natural para conhecer uma melhor por quem posso se apaixonar.  Por essa razão, a escolha fica a cargo de sua família, pois somente esta saberia onde encontrar uma virgem autêntica. Embora muitas vezes nem sequer se conheçam, os recém-casados são obrigados a ter uma relação sexual na noite de núpcias. Mesmo que a moça não queira e seu corpo se feche de medo e repulsa, ela terá de fazê-lo. E ainda que o marido também não o queira, deve provar sua Virilidade e potência. Os convidados aguardam do lado de fora, até que seja exibido um lençol sujo de sangue. Esta relação compulsória é de fato um estupro socialmente sancionado e também uma flagrante negação do valor do individuo…
Após o casamento, a desconfiança contra as mulheres aumenta ainda mais – agora que a noiva foi declarada, o medo de seu marido assume proporções ainda maiores, ele acaba de romper a única garantia de que sua mulher nunca irá para a cama com outro homem. A partir de agora, o único meio de impedir que a esposa o engane é evitar, na medida do possível, que ela tenha acesso ao mundo externo. Ela não pode dar um passo fora de casa sem a permissão ou companhia do marido. Tal autoridade seria supostamente concedida por Alá e por tradições seculares. No século XI, o imã Al-Ghazzali, um sábio muito conhecido entre os ortodoxos, escreveu: “A mulher bem-educada […] não deixa seu lar, a não ser com a expressa aprovação do marido e trajando roupas velhas e desprovidas de atrativos”. E também: “Sempre põe os direitos do marido na frente dos seus e dos da sua família. E limpa e asseada e está sempre preparada para que ele desfrute sexualmente dela”.
Extraído do livro A VIRGEM NA JAULA, HIRSI, Cia das Letras, 1º Edição. Páginas 45, 46 E 47

quinta-feira, 4 de junho de 2020

QUEM SÃO OS ANTIFAS?

A LUTA DO QUE SE DENOMINA ANTIFASCISTA VEM DE MUITOS ANOS NO BRASIL





Primeiro vamos entender o que é fascismo. O fascismo foi um movimento político que surgiu na Itália sob a liderança de Benito Mussolini, que assumiu o poder desse país a partir de 1922 com a Marcha sobre Roma. 

Quero destacar: É UM MOVIMENTO POLÍTICO. 

Sendo um movimento político eu pergunto, qual a ideologia política que predomina no jornalismo e na imprensa em geral? Ideologia socialista e esquerdista. Nas novelas, nos filmes, nos programas de auditórios, nas universidades, nos governos de esquerda que dominou o Brasil durante 16 anos. Houve um monstruoso aparelhamento estatal na educação, nas políticas dos direitos humanos, na política partidária, nos órgãos e na política social; na mídia brasileira em quase sua totalidade. 

Na palavra do condenado e solto, ex-presidente da república do Brasil, Luís Inácio Lula da Silva, o fascismo é : O povo tem que entender que é o GOVERNO QUE RESOLVE TUDO.

Símbolos que representam melhor o fascismo:

 

Por ser um tema complexo gera muito debate. Mas para um entendimento melhor, essa é a visão geral do fascismo: 

1. Implantação de um sistema unipartidário ou monopartidário, no qual apenas o próprio partido fascista tinha direito à atuação no sistema político nacional;
2. Culto ao chefe/líder (Lulismo) como forma de colocá-lo como a única pessoa capaz de guiar a nação ao seu destino;
3. Desprezo pelos valores tradicionais, nos quais estão inclusas as liberdades individuais e a democracia representativa;
4. Desprezo por valores coletivistas, como o cristianismo;
5. Desejo de expansão imperialista baseada na ideia de domínio de povos mais fracos;
6. Vitimização de determinados grupos da sociedade (O movimento gay, o feminismo...) ou de um povo com o objetivo de iniciar uma perseguição contra aqueles que eram vistos como “inimigos do povo”;
7. Uso da retórica contra os métodos políticos tradicionais afirmando que estes eram incapazes de combater as crises e de levar a nação à prosperidade;
8. Exaltação dos “valores liberais” em detrimento de valores considerados “modernos”;
9. Mobilização das massas;
10. Controle total do Estado fascista sobre assuntos relacionados à economia, política e cultura. (Texto adaptado do site Brasil Escola - em 04/06/2020)
Os "antifas", se dizem ser contra o fascismo, depredam lojas e propriedade particular, queimam carros, fazem pichações, atacam e agridem pessoas nas ruas, intimidam comunidades e dizem ser contra o domínio governamental (quando o governo é de direita). Na realidade são grupos terroristas, transvestidos de revolucionários e que em qualquer situação de comoção social envolvendo negros, gays, lésbicas, índios, etc, eles aproveitam a ocasião e insurgem contra a sociedade e os governos. 

Quem representa melhor a ideologia fascista são os movimento comunistas, neonazistas e islâmicos. Pois os mesmos sempre apontam para um governo totalitário. 

Fonte: Créditos da imagem/https://br.images.search.yahoo.com/

Terroristas matam 27 cristãos a tiros e queimados vivos no Mali


Desde 2016, os jihadistas lutam para ocupar o norte e o centro do Mali para estabelecer a "sharia", ou lei islâmica, em todo o país africano.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO WORTHY NEWS E NEW YORK TIMES
ATUALIZADO: QUARTA-FEIRA, 3 JUNHO DE 2020

Extremistas praticam jihad contra cristãos no norte e no centro do Mali desde 2016. (Foto: Reprodução/Barnabas Fund)
Extremistas praticam jihad contra cristãos no norte e no centro do Mali desde 2016. (Foto: Reprodução/Barnabas Fund)

Suspeitos jihadistas islâmicos fortemente armados em motocicletas atacaram principalmente aldeias de cristãos no centro do Mali, matando pelo menos 27 pessoas, de acordo com trabalhadores humanitários na terça-feira (26/5).

“Sete foram mortos, alguns queimados vivos, na aldeia de Tillé. Outros 20 aldeões étnicos de Dogon foram mortos a tiros ou queimados nos vizinhos Bankass e Koro”, confirmou o grupo de ajuda cristã Barnabas Fund, citando autoridades locais.

Autoridades locais disseram à Reuters acreditar que os três ataques, entre terça e quarta-feira, foram realizados por jihadistas, que costumam dizer que estão defendendo os pastores Fulani contra os rivais Dogon.

"Ficamos surpresos com o ataque à vila de Tillé. Sete foram mortos, todos os Dogons, alguns deles queimados vivos", disse Yacouba Kassogué, vice-prefeito de Doucombo, município em que Tillé está localizado.
Os últimos assassinatos de agricultores majoritariamente cristãos no centro de Mali começaram no dia 26 de maio e duraram até o dia seguinte, segundo as autoridades regionais.

Desde 2016, os jihadistas lutam para ocupar o norte e o centro do Mali para estabelecer a "sharia", ou lei islâmica, em todo o país africano.
As autoridades também disseram que os três ataques foram provavelmente realizados por jihadistas, que frequentemente alegam defender os pastores Fulani contra os rivais Dogon.

Preocupação

O derramamento de sangue enfatizou a preocupação de que o país muçulmano verá uma repetição da violência maciça do ano passado. "O Mali sofreu seu pior ano de violência extremista em sete anos em 2019", disse o Barnabas Fund ao Worthy News em comunicado.

O grupo acrescentou que "militantes jihadistas" realizaram "ataques assassinos" nas áreas norte e central. Eles estavam “devastando aldeias cristãs e fazendo com que centenas fugissem apenas com as roupas nas costas. Em um dos piores ataques, em junho de 2019, pelo menos 100 homens, mulheres e crianças foram massacrados em Sobame Da, uma vila principalmente cristã na região de Mopti, no centro do Mali.”

Os civis fulani também sofreram violência por milícias que os acusaram de apoiar os jihadistas, disseram relatórios. Mais de 150 foram mortos em uma vila por suspeitos extremistas de Dogon em março do ano passado.

O Mali está em caos desde 2012, quando jihadistas ligados ao grupo terrorista Al Qaeda apreenderam os dois terços do norte do país. As forças francesas intervieram no ano seguinte. Mas os militantes se reagruparam neste país da África Ocidental, sem litoral, com mais de 19 milhões de pessoas.

Em um revés para a comunidade internacional, os jihadistas também expandiram suas operações para países vizinhos, como Burkina Faso e Níger.

terça-feira, 15 de outubro de 2019

Muçulmanos queimam mãe e filhos de cristão aos gritos de “Allah Akbar”

Família de Uganda era recém-convertida ao cristianismo
Casa pegando fogo em Uganda. *Foto ilustrativa. (Foto: Reprodução)
Extremistas islâmicos atacaram uma família de cristãos em uma região situada há 50 quilômetros de Kampala, em Uganda, mas precisamente em Nakaseke.
Ali Nakabale teve sua casa invadida, seus dois filhos foram mortos, um com 9 e outro com 6 anos, a mãe de Ali, que cuidava dos netos, também foi assassinada, ao lado de seu esposo, padrasto de Ali.
“Ao chegar em casa, encontrei-a destruída pelo fogo que queimou meus quatro membros da família, incluindo meus dois filhos”, disse Ali ao Morning Star News.
O crime aconteceu em 20 de agosto e Ali ainda se lembra de ter ido ao necrotério identificar os corpos. Seus vizinhos testemunharam o ataque e contaram detalhes sobre o que aconteceu naquele dia.
Uma das testemunhas, que teve o nome preservado, disse que os terroristas atearam fogo e gritaram a frase usada por radicais islâmicos.
“Vimos fogo saindo da casa de Hamidah com gritos altos dos muçulmanos dizendo: ‘Alá Akbar [Deus é maior]'”. Ainda segundo ele, várias pessoas foram até a casa tentar ajudar, mas quando se aproximaram a casa já havia sido demolida e todos estavam mortos.
Naquele mês completava um ano que Ali Nakabale e sua mãe, Nakya Hamidah, 56 anos, haviam trocado o Islã pelo Cristianismo.
A esposa de Ali, Sandra Nakamada, 32 anos, não aceitava que os filhos fossem levados aos cultos e passou a espancar as crianças.
“No mesmo dia, minha esposa me deixou e saiu de casa. Ficamos assustados porque sabíamos que nossas vidas estavam em perigo. Por três meses, nenhum muçulmano visitou nossa casa”, conta Ali.
Gospel Prime

segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Islamismo: Uma religião perigosa


Islamismo: Uma religião perigosa, Pr. Martinez mostra evidências



Por Flávio Martinez


Sura 2:191 – Matai-os onde quer que os encontreis e expulsai-os de onde vos expulsaram, porque a perseguição é mais grave do que o homicídio. Não os combatais nas cercanias da Mesquita Sagrada, a menos que vos ataquem. Mas, se ali vos combaterem, matai-os. Tal será o castigo dos incrédulos.
Sura 4:91…capturai-os e matai-os, onde quer que os acheis, porque sobre isto vos concedemos autoridade absoluta.
Sura 40:25 – Matai os filhos varões daqueles que, com ele, crêem, e deixai com vida as suas mulheres! Porém, a conspiração dos incrédulos do improfícua.
Sura 9 – 111.Deus cobrará dos fiéis o sacrifício de seus bens e pessoas, em troca do Paraíso. Combaterão pela causa de Deus, matarão e serão mortos. É uma promessa infalível, que está registrada na Tora, no Evangelho e no Alcorão. E quem é mais fiel à sua promessa do que Deus? Regozijai-vos, pois, a troca que haveis feito com Ele. Tal é o magnífico benefício.
Sura 9:5;29 – Mas quanto os meses sagrados houverem transcorrido, matai os idólatras(564), onde quer que os acheis; capturai-os, acossai-os e espreitai-os… Combatei aqueles que não crêem em Deus e no Dia do Juízo Final, nem abstêm do que Deus e Seu Mensageiro proibiram, e nem professam a verdadeira religião…

Na Tradição Islâmica se encontra o seguinte: Fazei guerra, com sangue e extermínio, a todos que não crêem em Deus (Alá)… Quando encontrardes com os infiéis, matai-os.(Hadith)
Fonte: CACP



quarta-feira, 17 de julho de 2019

ATENÇÃO FEMINISTAS ESQUERDOPATAS: o que fazer com quem trata as mulheres dessa forma?

Direitos civis da mulher no contexto muçulmano


Escravização e estupro de mulheres não são crimes no Islã
Mulher queimada com ácido no rosto por mostrar os cabelos
Resultado de imagem para mulheres queimadas com ácidos
Imagem relacionada
Imagem relacionada
*****************************************************************************************************************
Essas foram estupradas pelos terroristas islâmicos influenciados pelo Islã e o Al Corão 
Resultado de imagem para mulheres estupradas pelo islã
VOCÊ SABIA QUE:
De acordo com a doutrina islâmica, estupro e escravidão sexual não são um pecado. Estupro de uma Kafir é permitida por Maomé e Allah no Alcorão, consagrado na lei da Sharia. Sob a Sharia, as mulheres Kafir podem ser estupradas e não há penalidade. O islamismo é o único sistema político no mundo que inclui regras para estupro e guerra. Estupro é uma tática da jihad. (WARNER, 2019)
Resultado de imagem para mulheres estupradas pelo islã
Mulheres à venda
Quando falamos de direitos civis, não estamos falando dos mesmos direitos que a mulher tem na sociedade Ocidental. Como já havíamos dito, a mulher no mundo muçulmano assume um papel secundário, onde este papel não é só regulamentado pelas leis civis, como recebe um caráter divino sobre esses direitos, o que de fica praticamente impossível dividir estado e religião. Já que “o Alcorão formula questões éticas que devem ser observadas no trato com outras pessoas, bem como os deveres religiosos em relação a Deus que todos devem cumprir” (SCHIRRMACHER, 2017, p.48). Por isso é tão difícil separar a religião Islâmica da comunidade muçulmana, pois a sua busca se trata justamente da fusão estado-religião-sharia. Pois:
A partir do momento em que a religião fornece certas regras em relação ao casamento, ao divórcio ou à criação dos filhos, muçulmanos praticantes que vivam em um país não islâmico, no qual a sharia não é a base da legislação, terão sempre o sentimento de que não podem viver integralmente sua fé […] Seu objetivo, por meio da imitação de Maomé e da exata observância de todos os mandamentos do islã, é criar uma sociedade islâmica, rejeitar o governo de seu país – em seu entender, não islâmico – e estabelecer um governo “verdadeiramente islâmico”. (IBDEM, 2017, p79)
A lei islâmica não é de fácil interpretação, ainda mais quando se trata de trazer para nossos dias, e para a comunidade Ocidental escritos do século VII. Por isso há uma pergunta a ser feita e que não pode ser respondida de forma rápida: É possível a prática do islamismo sincero nos dias atuais? As leis que regem o Islã não são compatíveis com todas as conquistas realizadas pelas mulheres no mundo Ocidental, por isso é necessário que façamos o contraste mais à frente, por hora vamos nos ater aos direitos atribuídos às mulheres dentro do mundo muçulmano no que se refere ao casamento, divórcio e herança, já que a participação da mulher é limitada ao lar, não existe legislação, ou direitos sobre o trabalho ou qualquer outra situação comum no mundo Ocidental cristão.
Com a aproximação do Islã ao mundo Ocidental também trouxe consigo alguns problemas no sentido dos direitos já adquiridos das mulheres, um dos grandes problemas na atualidade está ligado ao uso do véu no mundo muçulmano, este problema está evidente em países que acolheram os refugiados muçulmanos como a Alemanha onde:
É cada vez maior o numero das que se veem forçadas a usar o véu, por pressão de grupos políticos muçulmanos. As meninas que não trazem a cabeça coberta, são por vezes, objeto de escárnio, obrigadas a se adequar ao uso do véu, ameaçadas, ou abertamente xingadas de “prostitutas” por outros muçulmanos do bairro. As regras do vestuário islâmico e, paralelamente, a doutrina moral a elas associadas estão ganhando terreno em plena Alemanha (SCHIRRMACHER, 2017, p.291).
Não só isso, como também a quantidade de casamentos forçados, ou arranjados também tem aumentado no mundo Ocidental conforme o islã avança. Tudo isso se aplica a mulher muçulmana.
As covardes feministas não fariam isso nas mesquitas
Imagem relacionada
Feministas entraram seminuas na famosa catedral de Paris com as seguintes mensagens escritas no corpo: ‘adeus, Bento’, ‘crise de fé’, ‘papa, o jogo acabou, ‘papa não mais’
O Islã divide a humanidade em duas categorias, o fiel muçulmano e o infiel (Kafir), o Alcorão nos expõe um verso muito espantoso, quando diz que: “E todas as mulheres casadas (são proibidas para você), salvo aquelas que suas mãos direitas (mão da espada) possuem”, Bill Warner, ao comentar este verso nos informa que:
De acordo com a doutrina islâmica, estupro e escravidão sexual não são um pecado. Estupro de uma Kafir é permitida por Maomé e Allah no Alcorão, consagrado na lei da Sharia. Sob a Sharia, as mulheres Kafir podem ser estupradas e não há penalidade. O islamismo é o único sistema político no mundo que inclui regras para estupro e guerra. Estupro é uma tática da jihad. (WARNER, 2019)
Mas, esse conceito não só é definido apenas em tempos de guerra, “A situação da mulher no islã reflete antes valores e necessidades de uma sociedade tribal do que valores especificamente religiosos” (DEMANI, 2015, p.155), até porque o islã busca essa preservação, um dos exemplos mais recorrentes é que “Desde os anos 80, houve centenas de casos de desfiguração, pela utilização de ácido, do rosto de mulheres que simplesmente ousaram exibir seus cabelos” (IBDEM, p.159). Robert Spencer traz um relato sobre uma pesquisa realizada pelo Instituto Paquistanês de Ciências Médicas de que no ano de 2002, 90% das mulheres paquistanesas eram espancadas ou abusadas sexualmente pelos seus maridos. (SPENCER, 2007, p.72).
Um dos exemplos mais recentes onde retrata como a mulher deve se comportar no mundo muçulmano está na Alemanha, apesar do país não ser um lugar totalmente islamizado, mas após 1960, houve uma verdadeira fuga dos muçulmanos de seus países de origem para lá, onde se estabeleceram, e trouxeram consigo sua religião e o desejo da implantação da Charia, que permite o crime de honra e “Uma das vítimas, Hstun Surucu, foi alvejada em plena luz do dia, em fevereiro de 2005, em Berlim, por seus irmãos porque ‘vivia como uma alemã’ e era ‘uma prostituta’ que ‘não merecia destino melhor’”(SCHIRRMACHER, 2017, p.291). Portanto, a liberdade que a mulher conquistou no Ocidente é infinitamente maior do que a suposta liberdade que as mulheres do mundo muçulmano têm:
Quaisquer expressões de sensualidade, como namoros ou maquiagem, são reprimidas pela polícia moral […] No Irã, mulheres têm uma posição jurídica de cidadãs e pessoas físicas; após sua participação maciça na revolução, o direito ao voto já não podia mais ser-lhes retirado (apesar da opinião do clero); a idade mínima para o casamento foi reduzida a nove anos […]

O Cristianismo honra as mulheres
Resultado de imagem para o cristianismo honra as mulheres
No Afeganistão, por outro lado, cada mulher era considerada legalmente submissa a algum homem; elas eram obrigadas a vestir burca, que vela totalmente não apenas o corpo como também o rosto; as filhas eram proibidas de ir á escola, as mães, de trabalhar fora de casa; e todas só podiam aparecer em público acompanhadas de um parente masculino legalmente responsável por elas (Algumas regulamentações afegãs existem também na Arábia Saudita, onde mulheres são proibidas de dirigir) (DEMANI, 2015, p.160)
É evidente que houveram nos últimos anos um avanço no que se diz respeito aos direitos das mulheres em relação ao Ocidente, entretanto, há outras escolas de interpretação islâmica que não existe avanço, pois suas opiniões sobre esta evolução está baseada no Alcorão e na tradição islâmica, onde sua visão está presa no século VII.
Por Rafael Félix.
* Este artigo com inclusão das imagens foi uma adaptação 
Fonte das fotos: Web 
Artigo original: CACP

terça-feira, 4 de junho de 2019

Cristianismo no Iraque está “perto da extinção”, alerta líder religioso

"E os que permanecerem podem "enfrentar o martírio", completa o líder

Extremistas do EI (Estado Islâmico, antigo ISIS) crucificam cristãos no Iraque

O cristianismo no Iraque está “perto da extinção” e os que permanecerem podem “enfrentar o martírio”, mas alguns líderes cristãos na Grã-Bretanha se recusam a condenar as atrocidades perpetradas por extremistas muçulmanos por medo de serem acusados ​​de islamofobia, disse o Arcebispo de Irbil.
Durante um discurso em Londres, o Rev. Bashar Warda disse que a população cristã do Iraque caiu para apenas 250 mil – uma queda de 83% na população desde a invasão do Iraque pelos Estados Unidos, de acordo com a BBC .
“Cristianismo no Iraque”, disse ele, “uma das igrejas mais antigas, se não a igreja mais antiga do mundo, está perigosamente perto da extinção. Aqueles de nós que permanecermos devem estar prontos para enfrentar o martírio.”
Enquanto o grupo terrorista do Estado Islâmico foi expulso de sua última fortaleza no Iraque no início deste ano, estruturas religiosas e casas pertencentes a famílias cristãs foram destruídas e milhares de famílias não retornaram, ressaltou.
“Nossos torturadores confiscaram nosso presente”, disse ele, “enquanto procuravam destruir nossa história e destruir nosso futuro. No Iraque não há reparação para aqueles que perderam propriedades, casas e negócios. Dezenas de milhares de cristãos não têm nada a mostrar pelo trabalho de sua vida, por gerações de trabalho, em lugares onde suas famílias viveram, talvez, por milhares de anos “.
O arcebispo, que tem sido sincero sobre a situação dos cristãos em seu país, também disse que os líderes cristãos da Grã-Bretanha estão tão preocupados com a “correção política” que se recusam a falar contra as atrocidades cometidas contra os cristãos no Iraque pelas mãos de extremistas muçulmanos.
“Você vai continuar tolerando esta perseguição interminável e organizada contra nós?” ele perguntou. “Quando a próxima onda de violência começar a nos atingir, alguém em seus campi fará demonstrações e mostrará sinais de que ‘somos todos cristãos’?”
Os cristãos de advertência estão “enfrentando nosso fim na terra de nossos ancestrais”, disse Warda, “o mundo inteiro enfrenta um momento de verdade”.
“Será permitido a um povo pacífico e inocente ser perseguido e eliminado por causa de sua fé? E, para não querer falar a verdade aos perseguidores, o mundo será cúmplice de nossa eliminação?”
A BBC observa que as perspectivas para os cristãos “permanecem sombrias” no Iraque, uma vez que as tensões entre muçulmanos sunitas e xiitas persistem e ainda há combatentes do EI escondidos em algumas partes do país.
O Iraque ocupa o 13º lugar na lista de vigilantes do mundo Perseguição dos EUA do 2019, dos 50 países do mundo onde os cristãos enfrentam a mais extrema perseguição por sua fé.
Em outubro, a Agência de Desenvolvimento Internacional dos EUA anunciou que faria parceria com a principal organização fraterna católica do país, Knights of Columbus, para ajudar a fortalecer a reconstrução de comunidades sitiadas no Iraque.
O objetivo do acordo é “facilitar parcerias para ajudar comunidades no Oriente Médio a se recuperarem do genocídio e da perseguição” e conectar a agência com a fé local e líderes comunitários para ajudar a levar a ajuda rapidamente às comunidades cristãs perseguidas.
Joseph Cullen, o porta-voz dos Cavaleiros de Colombo, disse ao The Christian Post que a organização até agora comprometeu mais de US $ 25 milhões em apoio a cristãos perseguidos e aqueles sob seus cuidados no Oriente Médio. Isso, disse ele, forneceu comida, roupas, abrigo, educação, assistência médica, construção ou reconstrução de casas e outros serviços.
“Embora seja sempre importante que os cristãos nos Estados Unidos e em outros lugares continuem a apoiar seus irmãos e irmãs que estão sendo perseguidos ou sofrem os efeitos da perseguição, isso é ainda mais importante hoje, quando essas comunidades podem literalmente deixar de existir. ”, Enfatizou ele.
“Da mesma forma, o apoio do governo dos EUA para as comunidades alvo de genocídio no Oriente Médio – incluindo cristãos – continua sendo crucial, tanto em projetos que beneficiam essas comunidades, quanto em termos de apoio à sua segurança, ameaçada mais recentemente pela milícia. grupos no norte do Iraque ”.
Falando no Proclaim 19, a Convenção Internacional de Mídia Cristã dos National Religious Broadcasters, em 26 de março, o embaixador americano Sam Brownback declarou que “a liberdade religiosa é uma das principais prioridades da política externa para este governo”.
“Acreditamos que este é um direito universal e natural”, disse ele no evento em que participa a CP. “Todos os dias, eu trabalho em nome dos perseguidos em todo o mundo”, disse ele, acrescentando que a América “está em um lugar único para defender os perseguidos em todo o mundo”.
Fonte: JM Notícias

sexta-feira, 24 de maio de 2019

Terroristas islâmicos sequestram pastor e outros 16 cristãos na Nigéria

A imprensa nigeriana relata que nenhum contato foi feito com os sequestradores até agora.

Por Heleno Farias

A imprensa nigeriana relata que nenhum contato foi feito com os sequestradores até agora. Foto: Ilustrativa

Homens armados na Nigéria sequestraram um pastor evangélico e outros 16 cristãos nesta semana em um ataque que também matou uma pessoa.
incidente ocorreu na área do governo local de Igabi no estado de Kaduna.
O reverendo Zakariah Ido e 16 membros da Igreja Evangélica Vencedora de Todos , incluindo a filha do pastor, dois lideres e o filho de um ministro das Assembleias de Deus, foram sequestrados após a meia-noite de domingo.
Uma testemunha disse que os seqüestradores eram de 20 a 30 extremistas Fulani armados, um grupo violento em sua maioria islâmica, que tem realizado muitos ataques contra os cristãos na Nigéria.
Uma testemunha disse que isso aconteceu quando a igreja estava organizando uma comunidade de coros combinados.
Um assessor em questões de Nigéria para a organização sem fins lucrativos International Crisis Group relata: “O pastor, sua filha e outros 15 foram sequestrados no estado de #Kaduna ontem 19 de maio Uma fonte oficial da igreja. diz que mais de 20 homens armados sequestraram o Rev. Zakariah Ido e outros – 11 meninas e 5 homens – na ECWA. “
Uma testemunha disse que isso aconteceu quando a igreja estava organizando uma comunidade de coros combinados.
Um assessor em questões de Nigéria para a organização sem fins lucrativos International Crisis Group relata: “O pastor, sua filha e outros 15 foram sequestrados no estado de #Kaduna ontem 19 de maio Uma fonte oficial da igreja. diz que mais de 20 homens armados sequestraram o Rev. Zakariah Ido e outros – 11 meninas e 5 homens – na ECWA. “
JM Notícias

quarta-feira, 8 de maio de 2019

Boko Haram mata 25 cristãos em ataques de porta a porta, na Nigéria

Pelo menos 25 pessoas foram assassinadas após cerco de terroristas do Boko Haram em comunidade cristã da Nigéria.

Parentes de cristãos mortos por pastores islâmicos Fulani na Nigéria choram em funeral. (Foto: Emmy Ibu/AFP/Getty Images)
Parentes de cristãos mortos por pastores islâmicos Fulani na Nigéria choram em funeral. (Foto: Emmy Ibu/AFP/Getty Images)

Terroristas do Boko Haram mataram pelo menos 25 pessoas na última segunda-feira (29) após cercarem a comunidade cristã de Kuda, no estado de Adamawa, no nordeste da Nigéria. As informações foram divulgadas nesta quinta (2) pela organização Portas Abertas dos EUA.
De acordo com a Portas Abertas, os terroristas invadiram a comunidade e foram de porta em porta, matando as vítimas. No dia seguinte, eles retornaram.

Enquanto membros da comunidade se preparavam para o funeral de seus entes queridos, militantes do Boko Haram foram vistos se aproximando para um segundo ataque à comunidade. Por causa da ameaça, os preparativos foram abandonados e os moradores enlutados foram forçados a fugir.
Por causa do ataque, moradores de comunidades vizinhas também fugiram da cidade. Líderes cristãos da região disseram à Portas Abertas: “Estamos em perigo e não temos ninguém para lutar por nós, para acabar com essa matança do nosso povo”.
O incidente é o mais recente de uma série de ataques do Boko Haram na região, que se tornou fortaleza para militantes leais a Abubakar Shekau, líder do grupo terrorista. Eles operam em esconderijos nas florestas próximas, roubando suprimentos, matando aldeões e atacando as forças de segurança.
Mais de 27 mil pessoas foram mortas pela sangrenta insurreição do Boko Haram e outras 2 milhões de pessoas foram deslocadas.
Os funcionários de campo da Portas Abertas que atuam na Nigéria pedem orações aos cristãos de todo o mundo: “Ore pela igreja na área de Madagali. Ore para que o Espírito Santo atue na vida de todos aqueles que foram afetados por esses ataques e residentes que lidam com o medo de ataques futuros. Ore com aqueles que saíram da aldeia para encontrar maior segurança. E ore para que a segurança seja restaurada em breve”, pede a organização.

Fonte: Guiame.com

Crianças cantam palavras de ódio a judeus em centro muçulmano nos EUA: “Cortaremos a cabeça deles”

Em um dos trechos do vídeos as crianças dizem: “libertaremos a mesquita de Al-Aqsa”

Crianças cantam palavras de ódio a judeus
Crianças cantam palavras de ódio a judeus. (Foto: Reprodução / Youtube - MENRI)

Um vídeo gravado na Sociedade Muçulmana Americana (MAS, na sigla em inglês) na Filadélfia está gerando polêmica nos Estados Unidos pelas palavras de ódio cantadas por crianças muçulmanas contra judeus.
Enquanto celebravam o “Dia do Umma”, data em que os muçulmanos comemoram suas tradições culturais, crianças e adolescentes vestidos seguindo a religião islâmica diziam palavras como: “Vamos defender a terra da orientação divina com nossos corpos e vamos sacrificar nossas almas sem hesitação”.
Outra frase dita foi: “Cortaremos a cabeça deles e libertaremos a Mesquita de Al-Aqsa, que é dolorosa e exaltada. Iremos liderar o exército de Alá cumprindo Sua promessa, e vamos submetê-los à tortura eterna”.
A mesquita em questão fica no Monte do Templo, em Jerusalém, área disputada por judeus e palestinos e que é objeto da disputa territorial entre os povos.
A tradução das falas vistas no vídeo foi feita pelo Instituto de Pesquisa de Mídia do Oriente Médio (Memri), organização de monitoramento do Oriente Médio, e não foi questionada pela instituição onde as crianças estavam.
Com a polêmica, a MAS explicou que as imagens foram gravadas em 17 de abril deste durante um evento de uma entidade escolar que não faz parte da sociedade, mas que aluga o espaço. Mesmo o vídeo tendo sido divulgado em sua página oficial no Facebook.
A explicação da entidade diz que a pessoa responsável pela apresentação foi demitida e lamentou o ocorrido dizendo que o vídeo é “perturbador”.
Ao comentar o caso a Liga Antidifamação, ONG judaica, classificou o vídeo como “extremamente perturbador” e salientou que as crianças não devem ser doutrinadas para odiar. “Esses jovens nunca deveriam ter sido convidados a fazer discursos, dançar e fazer sincronia com músicas que glorificam a violência contra os judeus e o Estado de Israel”, disse a entidade.
Fonte: Gospel Prime

segunda-feira, 6 de maio de 2019

Em novo ataque, Boko Haram mata 25 cristãos na Nigéria

Desde o começo de 2019 mais de 800 cristãos foram mortos na Nigéria

Cristãs nigerianas

Na última segunda-feira (29), terroristas do Boko Haram invadiram uma comunidade cristã em Kuda, Adamawa (Nigéria), e mataram 25 pessoas. No dia seguinte, enquanto organizavam os enterros, os terroristas voltaram para atacar novamente.
Os cristãos enlutados precisaram abandonar os corpos de seus entes queridos e fugiram da cidade. Comunidades vizinhas e até agentes de segurança também fugiram com medo dos terroristas.
“Estamos em perigo, não temos ninguém para lutar por nós para acabar com essa matança de nosso povo”, disseram os líderes cristãos da região em entrevista à Portas Abertas.
A Nigéria tem visto aumentar cada vez mais o número de perseguição a cristãos. Desde janeiro de 2019, mais de 800 cristãos foram mortos no país africano, segundo um relatório divulgado pela Sociedade Internacional pelas Liberdades Civis, e o Estado de Direito (Intersociety).
Além do Boko Haram, os cristãos são alvos de violência por parte dos pastores Fulani, que são criadores de gado que invadem as terras de cristãos para roubar seus animais.
Fonte: Gospel Prime