Mostrando postagens com marcador ptralhas assassinato de bebês. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ptralhas assassinato de bebês. Mostrar todas as postagens

sábado, 13 de fevereiro de 2021

ONG pró-aborto de Debora Diniz recebeu R$ 5,2 milhões na era PT

Por  Brehnno Galgane





A ONG pró-aborto Anis, fundada pela ativista Debora Diniz em 1999, recebeu a quantia de R$ 5,2 milhões do governo federal para a realização de 15 projetos diferentes entre 2005 e 2014. Durante esse período, o Brasil era governado pelo PT, nas gestões de Lula e Dilma.

Dentre os projetos realizados, conforme dados do Portal da Transparência, os dois mais caros foram um estudo no valor de R$ 1,1 milhão para “mapear e acompanhar a trajetória das denúncias de tortura contra adolescentes em privação de liberdade no território brasileiro”.

O segundo mais caro foi o projeto descrito como “implementação de políticas de atenção à saúde da mulher – Política Nacional de Planejamento Familiar”, que, na verdade, promove o assassinato de bebês nos ventres das mães. Este, teve vigência entre 2008 e 2011 e custou R$ 600 mil.

O instituto da ativista abortista também é responsável por articular a aprovação da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 54, julgada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 2012, que descriminalizou o aborto de anencéfalos no Brasil.

Também em outro caso com o STF, a ONG abortista atuou em 2008 para que o STF aprovasse pesquisa com células-tronco embrionárias – que permitiu a prática no país.

A ONG Anis e a ativista Debora Diniz, ambas enfaticamente pró assassinato de bebês nos ventres de suas mãe, são as entidades que mais atuam no Brasil para a legalização do aborto. Nos últimos anos, a ONG esteve envolvida em quase todas as decisões que facilitaram o assassinato da vida de bebês em gestação no país.

Fonte: Terça Livre